Mourão diz que alta inflacionária da cesta básica é consequência do auxílio emergencial

"Uma porção de gente comprando porque o dinheiro que o governo injetou na economia foi muito acima do que as pessoas estavam acostumadas, tanto que está havendo grande compra de alimentos e de material de construção", disse o vice-presidente, general Hamilton Mourão

Hamilton Mourão
Hamilton Mourão (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-presidente, general Hamilton Mourão, afirmou que a alta inflacionária registrada em agosto se deve ao auxílio emergencial pago pelo governo em razão da pandemia do novo coronavírus. "Uma porção de gente comprando porque o dinheiro que o governo injetou na economia foi muito acima do que as pessoas estavam acostumadas, tanto que está havendo grande compra de alimentos e de material de construção", afirmou Mourão nesta quarta-feira (9). 

Segundo ele, a alta "é uma questão da lei da oferta e da procura"."As pessoas estão se alimentando melhor e melhorando suas casas, essas são duas áreas onde está havendo bastante gasto", completou de acordo com reportagem do UOL. Ainda conforme Mourão, o aumento das exportações em função da desvalorização do real  frente ao dólar também vem influenciando o aumento da inflação. 

"Também estamos vendendo bastante para o mercado externo. A safra de arroz nos últimos anos, a área plantada diminuiu porque os arrozeiros tiveram muito prejuízo, o cara muda de ramo, agora eles estão replantando", disse. "É um momento sazonal, daqui a pouco volta tudo ao normal”, emendou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email