MPT: União deve exigir manutenção de empregos no negócio entre Embraer e Boeing

O Ministério Público do Trabalho (MPT) defendeu que o governo só deve aprovar um acordo entre Embraer e Boeing se as fabricantes se comprometerem a preservar a produção e os empregos no Brasil; na ação, o MPT lista inúmeros fatores que indicam elevado risco de que a Boeing, ao assumir o segmento de aviação comercial da Embraer, poderá remeter a produção para fora do Brasil, com ameaça à preservação de mais de 26.600 postos de trabalho

MPT: União deve exigir manutenção de empregos no negócio entre Embraer e Boeing
MPT: União deve exigir manutenção de empregos no negócio entre Embraer e Boeing (Foto: Foto: Nacho Doce/Reuters)

247 - O Ministério Público do Trabalho (MPT) defendeu que o governo só deve aprovar um acordo entre Embraer e Boeing se as fabricantes se comprometerem a preservar a produção e os empregos no Brasil. 

A manifestação foi em uma ação civil pública, apresentada após o MPT ter recomendado às empresas "que, caso confirmassem o negócio, apresentassem garantias, passíveis de execução, de que os empregos permaneceriam no Brasil". As empresas apresentaram respostas indicando que não pretendem dar tal garantia.

O MPT lista inúmeros fatores que indicam elevado risco de que a Boeing, ao assumir o segmento de aviação comercial da Embraer, poderá remeter a produção para fora do Brasil, com ameaça à preservação de mais de 26.600 postos de trabalho, além do comprometimento da capacidade brasileira de produzir tecnologia de ponta em um setor estratégico ao desenvolvimento nacional. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247