Na esteira do Rio, Norte e Nordeste pedem R$ 8 bi

Em carta ao presidente interino, 14 governadores do Norte e do Nordeste (exceto Pará e Alagoas) expõe cenário difícil na economia das regiões, com alto índice de desemprego, e pedem uma ajuda financeira de R$ 8 bilhões; a proposta será discutida na próxima semana com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também recebeu a carta; "É preciso que haja um tratamento especial para enfrentar os maiores índices de desemprego no País, que estão nessas regiões", disse o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria; na semana passada, Michel Temer negociou as dívidas com os governadores, suspendendo suas dívidas até o fim do ano, e acertou uma ajuda de R$ 2,9 bilhões ao Rio de Janeiro, que decretou estado de calamidade a 49 dias do início da Olimpíada

Em carta ao presidente interino, 14 governadores do Norte e do Nordeste (exceto Pará e Alagoas) expõe cenário difícil na economia das regiões, com alto índice de desemprego, e pedem uma ajuda financeira de R$ 8 bilhões; a proposta será discutida na próxima semana com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também recebeu a carta; "É preciso que haja um tratamento especial para enfrentar os maiores índices de desemprego no País, que estão nessas regiões", disse o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria; na semana passada, Michel Temer negociou as dívidas com os governadores, suspendendo suas dívidas até o fim do ano, e acertou uma ajuda de R$ 2,9 bilhões ao Rio de Janeiro, que decretou estado de calamidade a 49 dias do início da Olimpíada
Em carta ao presidente interino, 14 governadores do Norte e do Nordeste (exceto Pará e Alagoas) expõe cenário difícil na economia das regiões, com alto índice de desemprego, e pedem uma ajuda financeira de R$ 8 bilhões; a proposta será discutida na próxima semana com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também recebeu a carta; "É preciso que haja um tratamento especial para enfrentar os maiores índices de desemprego no País, que estão nessas regiões", disse o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria; na semana passada, Michel Temer negociou as dívidas com os governadores, suspendendo suas dívidas até o fim do ano, e acertou uma ajuda de R$ 2,9 bilhões ao Rio de Janeiro, que decretou estado de calamidade a 49 dias do início da Olimpíada (Foto: Gisele Federicce)

247 – Depois de acertar uma ajuda de R$ 2,9 bilhões ao Rio de Janeiro, que decretou calamidade pública a 49 dias do início da Olimpíada, o governo interino de Michel Temer recebe agora o pedido de outros 14 governadores do Norte e do Nordeste, que alegam querer o mesmo tratamento especial diante da crise.

Em uma carta enviada ao interino e ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, os governadores pedem ao todo cerca de R$ 8 bilhões para recompor perdas das transferências do Fundo de Participação dos Estados (FPE) desde 2011, conforme detalha reportagem publicada por Adriana Fernandes, do Estadão.

Os governadores das duas regiões (com exceção de Pará e Alagoas) apontam alto índice de desemprego e grandes dificuldades financeiras para justificar o pedido. "É preciso que haja um tratamento especial para enfrentar os maiores índices de desemprego no País, que estão nessas regiões", disse o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, em entrevista ao Broadcast Político, da Agência Estado.

O secretário de Fazenda do Estado do Rio Grande do Norte, André Horta, disse que os governadores pedem que a proposta seja incluída no projeto 257, que tramita no Congresso, que trata da reestruturação da dívida dos Estados e União, discutida pelo governo interino com governadores no início da semana passada.

A pauta dos governadores do Norte e do Nordeste será tratada pessoalmente com Henrique Meirelles na próxima semana.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247