Na mira das privatizações de Guedes e Bolsonaro, Eletrobrás tem lucro de R$ 716 mi no trimestre

Na mira das privatizações de Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, a Eletrobrás registrou portou lucro líquido de R$ 716 milhões no terceiro trimestre, ante prejuízo de líquido de R$ 2,26 bilhões no mesmo período do ano passado

(Foto: Marcos Correa/PR | Reuters)

Reuters - A Eletrobras  reportou lucro líquido de 716 milhões de reais no terceiro trimestre de 2019, ante prejuízo de líquido de 2,26 bilhões de reais no mesmo período de 2018, segundo resultado divulgado quase no início da madrugada de terça-feira.

À medida que colhe resultados da privatização de distribuidoras, entre elas a então deficitária Amazonas Energia, a maior companhia do setor de energia elétrica da América Latina apresentou lucro líquido de 7,6 bilhões de reais em nove meses, versus prejuízo líquido de 404 milhões de reais na mesma comparação.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 2,7 bilhões de reais, aumento de 303% na comparação anual.

A receita operacional líquida apresentou crescimento de 9,8%, para 7,29 bilhões de reais no terceiro trimestre.

O lucro ocorreu apesar de uma série de provisões indicada no balanço do terceiro trimestre.

A empresa reportou 354 milhões de reais em provisão relativa ao desligamento de terceirizados da subsidiária Furnas; 690 milhões de reais relativos a créditos de CCC (Conta de Consumos de Combustíveis) passados pela Amazonas Energia à Eletrobras; e para contingências, no montante de 417 milhões de reais, sendo 269 milhões de reais referentes aos processos de empréstimo compulsório.

A dívida líquida recorrente da companhia subiu 10,7% ante o mesmo trimestre de 2018, para 22,1 bilhões de reais.

Por Roberto Samora

Ao vivo na TV 247 Youtube 247