Na recessão do pós-golpe, cresce total de famílias que moram de favor

Recessão decorrente do golpe parlamentar de 2016 agravada pelas políticas econômicas do governo Michel Temer elevou o número de famílias que moram de favor em imóveis emprestados por parentes ou amigos; segundo o IBGE, o número de domicílios cedidos para esta finalidade cresceu 7% em 2017 quando em comparação com o exercício anterior, alcançando 6,1 milhões de moradias

Prédios próximos a avenida Paulista em São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Prédios próximos a avenida Paulista em São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas (Foto: Paulo Emílio)

247 - A recessão decorrente do golpe parlamentar de 2016 agravada pelas políticas econômicas do governo Michel Temer elevou o número de famílias que moram de favor em imóveis emprestados por parentes ou amigos. Segundo a pesquisa "Características gerais dos moradores e dos domicílios 2017", com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de domicílios cedidos para esta finalidade cresceu 7% em 2017 quando em comparação com o exercício anterior, alcançando 6,1 milhões de moradias.

Os maiores índices foram registrados no Sudeste (13%) e Norte (12,9%). Apesar do crescimento, a maior parte dos domicílios do país pertence aos próprios moradores, sendo que 67,9% são próprios e quitados e 5,6% das habitações ainda estão sendo pagas. O total de alugueis foi de 17,6% em 2017, mantendo o mesmo índice do ano anterior.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247