Negacionista, Guedes diz que, com Auxílio Brasil, "não tem mais ninguém nos sinais vendendo água"

“Todo mundo está com dinheiro para viver. Não é nem sobreviver, é viver mesmo”, afirmou o ministro Paulo Guedes, que recentemente negou a fome de 33 de milhões de brasileiros

www.brasil247.com - O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Adriano Machado/Foto de arquivo)


247 - Após negar que 33 de milhões de pessoas passam fome no Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira, 26, que o Auxílio Brasil, programa de transferência de renda do governo Jair Bolsonaro em vigor desde novembro, retirou as pessoas das ruas e que “não tem mais ninguém nos sinais vendendo água”.

Elogiando Jair Bolsonaro (PL), Guedes afirmou: “desenhamos os programas sociais juntos. Preservamos 11 milhões de empregos. Lançamos uma camada de proteção para 68 milhões de brasileiros, para que pudessem sobreviver. Não tem mais ninguém nos sinais vendendo água, nos estádios de futebol. Por que isso? Auxílio Brasil é o nome”, afirmou em discurso para empresários na Bahia.

“O Brasil é uma potência. Tem que ser respeitado. Os militantes ficam atacando o próprio país. Um país que está lutando para sair da pandemia, que enfrentamos com sucesso. O futuro do Brasil, vamos seguir, temos todos os recursos e vamos seguir”, continuou.

“Todo mundo está com dinheiro para viver. Não é nem sobreviver, é viver mesmo. Já a classe média está gerando emprego e renda (…). As exportações estão voando, passamos de meio trilhão. O Brasil é uma potencia digital, ambiental, energética, alimentar. Não dependemos de nada, só temos que trabalhar”, disse Guedes.

“Somos uma das cinco economias mais forte do mundo. Está escrito. Só temos que confiar em nós mesmos. Temos tido um desempenho menor, do que quem nos subestimava”, destacou.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247