Odebrecht desviou pelo menos R$ 7 bilhões, estima Petrobras

Estimativas preliminares da Petrobras, feitas a partir de auditorias internas, indicam que o grupo Odebrecht participou de desvios de cerca de R$ 7 bilhões da estatal; os valores dizem respeito não apenas a obras de engenharia, mas também a todo um passivo que teria sido criado com superfaturamentos aplicados em contratos de construção, de fornecimento de equipamentos, como sondas, e de prestação de serviços, como exploração de petróleo, e que ajudaram a cobrir o pagamento de propinas no esquema de corrupção que envolveu executivos da empresa e políticos

Estimativas preliminares da Petrobras, feitas a partir de auditorias internas, indicam que o grupo Odebrecht participou de desvios de cerca de R$ 7 bilhões da estatal; os valores dizem respeito não apenas a obras de engenharia, mas também a todo um passivo que teria sido criado com superfaturamentos aplicados em contratos de construção, de fornecimento de equipamentos, como sondas, e de prestação de serviços, como exploração de petróleo, e que ajudaram a cobrir o pagamento de propinas no esquema de corrupção que envolveu executivos da empresa e políticos
Estimativas preliminares da Petrobras, feitas a partir de auditorias internas, indicam que o grupo Odebrecht participou de desvios de cerca de R$ 7 bilhões da estatal; os valores dizem respeito não apenas a obras de engenharia, mas também a todo um passivo que teria sido criado com superfaturamentos aplicados em contratos de construção, de fornecimento de equipamentos, como sondas, e de prestação de serviços, como exploração de petróleo, e que ajudaram a cobrir o pagamento de propinas no esquema de corrupção que envolveu executivos da empresa e políticos (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Estimativas preliminares da Petrobras, feitas a partir de auditorias internas, indicam que o grupo Odebrecht participou de desvios de cerca de R$ 7 bilhões da estatal. Os valores dizem respeito não apenas a obras de engenharia, mas também a todo um passivo que teria sido criado com superfaturamentos aplicados em contratos de construção, de fornecimento de equipamentos, como sondas, e de prestação de serviços, como exploração de petróleo, e que ajudaram a cobrir o pagamento de propinas no esquema de corrupção que envolveu executivos da empresa e políticos. As informações são do Estado de S.Paulo. 

"Segundo relatou ao Estado uma fonte com trânsito na Petrobrás, o valor não foi divulgado oficialmente e nem informado à própria Odebrecht porque a estatal aguarda o resultado das mais de 70 delações de executivos do grupo Odebrecht. Acredita-se que novos detalhes poderão elevar essa estimativa inicial e deixar a indenização que a Petrobrás vai pleitear ainda mais elevada.

A lista de negócios do grupo Odebrecht com a Petrobrás é extensa. Os mais lembrados são as obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e do Comperj, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. Mas os laços entre o grupo empresarial e a estatal são muitos e diversos.

Odebrecht e Petrobrás são sócias na Braskem. A Odebrecht Óleo e Gás conquistou contratos para perfuração de petróleo. O grupo também participou da reorganização da indústria naval e tornou-se sócio do estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Bahia que forneceria sondas. A companhia ganhou até licitação para prestar serviços na área de segurança e meio ambiente em dez países onde a Petrobrás tem atividades. Em muitos negócios, o superfaturamento já foi alvo até de questionamentos do Tribunal de Contas da União.

Procurada pela reportagem por meio de suas assessorias de imprensa, a Odebrecht declarou que não se manifestaria. A Petrobrás não respondeu até o fechamento desta edição."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247