Operação na bolsa de NY pode levar EUA a investigar Cabral e Eikel

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) e o empresário Eike Batista estão sujeitos a uma investigação criminal nos Estados Unidos pela destinação de US$ 16,5 milhões em propina para a compra de ações de empresas listadas na Bolsa de Valores de Nova York - o dinheiro foi pago como suborno pelo empresário ao ex-governador, segundo a Operação Eficiência, deflagrada ontem pela Polícia Federal

Sergio Cabral e Eike Batista 
Sergio Cabral e Eike Batista  (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) e o empresário Eike Batista estão sujeitos a uma investigação criminal nos Estados Unidos pela destinação de US$ 16,5 milhões em propina para a compra de ações de empresas listadas na Bolsa de Valores de Nova York - o dinheiro foi pago como suborno pelo empresário ao ex-governador, segundo a Operação Eficiência, deflagrada ontem pela Polícia Federal.

As informações são de reportagem do Valor

"De acordo com a investigação, os valores foram distribuídos no mercado de ações como títulos da Vale do Rio Doce, Petrobras e Ambev. O Departamento de Justiça americano é conhecido pelo rigor com que trata estrangeiros investigados por lavagem de dinheiro nos Estados Unidos. Até hoje, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) não pode pisar em solo americano,sob risco de ser preso. Em 2007 ele foi acusado de roubo de fundos públicos, transferência de valores ilícitos e conspiração, por desviar dinheiro de obras públicas em São Paulo enquanto foi prefeito da cidade.

Seguindo instruções do então sócio de Eike, Flávio Godinho (preso preventivamente), de acordo com a versão dos delatores, o contrato foi celebrado com o falso propósito de intermediar a compra de uma mina de ouro pelo Grupo X, de Eike Batista."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247