Pacheco: privatizar a Petrobrás não é solução para crise de combustíveis e assunto está fora do radar

Declaração do presidente do Senado foi feita um dia após o novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, afirmar que vai trabalhar para privatizar a companhia

www.brasil247.com - Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (Foto: REUTERS/Adriano Machado)


247 - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que o momento atual "é muito ruim" para discutir a privatização da Petrobrás e que o assunto está “fora do radar” do Congresso Nacional. “Não considero que esteja no radar ou na mesa de discussão neste momento a privatização da empresa porque o momento é muito ruim para isso”, disse o parlamentar nesta quinta-feira (12), de acordo com o jornal Folha de S. Paulo

A declaração de Pacheco foi feita um dia após o  novo ministro das Minas e Energia, Adolfo Sachsida, afirmar que seu “primeiro ato” à frente da pasta seria pedir realizar estudos para privatizar a estatal. 

“Temos dificuldade de valorização de ativos, estamos passando por um momento difícil no Brasil de contenção de problemas e de uma necessidade de estabilidade, de modo que essa é uma medida que pode ser estudada o quanto for necessário, mas não é uma medida rápida de ser tomada, vai demandar muito diálogo, participação da sociedade civil porque a Petrobrás é um ativo nacional", ressaltou o parlamentar. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pacheco destacou, ainda, que a privatização da companhia “definitivamente não é uma solução de curto prazo, assim como não é uma solução de curto prazo a PEC 110 [reforma tributária]. A PEC 110 é uma solução de médio e longo prazo. Essa solução da privatização da Eletrobras [quis dizer Petrobras], na verdade, não se tem a compreensão nem se isso é uma solução, de médio ou de longo prazo".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email