Paulinho da Força quer retorno da fórmula de Lula para reajustar salário mínimo

O deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) quer apresentar uma emenda à medida provisória que reajusta o salário mínimo, com o retorno da fórmula oficializada pelo governo Lula, que leva em consideração a inflação somada à variação do PIB de dois anos anteriores

Luis Macedo/Câmara dos Deputados | Ricardo Stuckert | USP Imagens
Luis Macedo/Câmara dos Deputados | Ricardo Stuckert | USP Imagens (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados | Ricardo Stuckert | USP Imagens)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) quer apresentar uma emenda à medida provisória que reajusta o salário mínimo. A proposta do parlamentar é o retorno da fórmula oficializada pelo governo Lula, que leva em consideração a inflação somada à variação do PIB de dois anos anteriores. A informação foi publicada pela coluna Painel. O governo Bolsonaro interrompeu o reajuste do salário mínimo acima da inflação. “A emenda já tem um certo respaldo dentro da Câmara. É uma política que deu certo”, disse o deputado. 

O reajuste precisa ser anunciado até 31 de dezembro, mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de um ano fechado só é conhecido no começo do ano seguinte. 

Atualmente, o governo corrige o valor do salário mínimo com base em uma previsão para a inflação. Por consequência, inicialmente o Executivo informou que, em 2020, o mínimo passaria de R$ 998 para R$ 1.039. 

Quando o INPC de 2019 foi oficialmente divulgado, no começo de janeiro, verificou-se que o índice usado pelo governo no reajuste era menor do que a inflação e a população perderia o poder de compra. Depois o mínimo de 2020 passou para R$ 1.045.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247