Paulo Guedes avança sobre fundos de pensão e acaba com eleições para direção

Para a Anapar, associação que representa os participantes dos fundos de pensão, mudanças são inconstitucionais, “o que pode abrir precedentes perigosos, sobretudo no apagar das luzes de 2019”

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma decisão do ministro da Economia, Paulo Guedes, pôs fim a eleições comando de fundos de pensão como Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, Funcef, da Caixa Econômica Federal, e Petros, da Petrobras.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a partir de agora, o presidente das entidades e os demais integrantes da diretoria-executiva serão selecionados no mercado por recrutamento independente.

A resolução, ainda não publicada no Diário Oficial da União, foi baixada pelo Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), órgão regulador das entidades fechadas de previdência complementar, do qual Paulo Guedes é o presidente. 

Anapar, associação que representa os participantes dos fundos de pensão, afirma que as mudanças são inconstitucionais, “o que pode abrir precedentes perigosos, sobretudo no apagar das luzes de 2019”. 

Para a entidade, a indicação de representantes da categoria era uma forma de tentar barrar o que chamam de “uso indevido de recursos da aposentadoria para fomentar o mercado financeiro”.  

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247