Pedida prisão de fraudador do Banco do Nordeste

Empresário José Juacy Cunha Pinto Filho é apontado como um dos líderes do esquema fraudulento que teria lesado a instituição financeira em mais de R$ 100 milhões; Ministério Público do Ceará pediu a prisão preventiva do acusado

Pedida prisão de fraudador do Banco do Nordeste
Pedida prisão de fraudador do Banco do Nordeste (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE 247

- Apontado como um dos líderes de um esquema que teria desviado mais de R$ 100 milhões do banco do Nordeste em operações de crédito, José Juacy Cunha Pinto Filho, teve o seu pedido de prisão preventiva solicitado pelo Ministério Público do Ceará.  O pedido de prisão qualifica o empresário como “especialista em falsificação de documentos públicos e particulares, formação de quadrilha, estelionatos e fraudes financeiras, indivíduo que inequivocamente causa prejuízos a particulares, e danos devastadores ao patrimônio público”. O Ministério público cearense suspeita, inclusive, que o empresário tenha deixado o País.

De acordo com reportagem da revista Época, que noticiou a fraude há cerca de dois meses, as empresas Ceará Indústria e Comércio de Embalagens, Flecar Comércio e Locação de Veículos, R & J Locações Investimentos e Incorporações, C4 Contruções, JPCF e Empreendimentos Imobiliários e Nordeste Indústria de Embalagens, pertencentes a José Juacy, também são acusadas de improbidade administrativa junto de mais 25 supostos envolvidos nas fraudes, entre eles 20 gerentes ou técnicos do banco.

De acordo com o Banco do Nordeste, todos os funcionários envolvidos teriam sido afastados de suas funções no final de junho.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email