Pochmann sobre Caged: “precarização avança”

Ex-presidente do Ipea, o economista Marcio Pochmann destaca a precarização do mercado de trabalho ao comentar os dados do Caged divulgados nesta sexta, que apontaram queda de 661 vagas de emprego; "Trabalhador com contrato de zero hora substitui ocupado assalariado de jornada plena. Mesmo com o decréscimo de 661 vagas no total do emprego formal em junho de 2018, o Brasil teve 2,7 mil registros líquidos a mais de contratados com jornada reduzida e instável", lembrou Pochmann

Pochmann sobre Caged: “precarização avança”
Pochmann sobre Caged: “precarização avança”

247 - O ex-presidente do Ipea e economista Marcio Pochmann destacou pelo Twitter a precarização do mercado de trabalho ao comentar os dados do Caged divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira 20, que apontaram queda de 661 vagas de emprego.

"A agropecuária, com a criação líquida de 40,9 mil empregos formais em junho de 2018 quase compensou o desânimo do comércio e da indústria que juntos registraram saldo líquido na destruição de 41,5 mil postos de trabalho. Situação mais grave concentrou-se na região Sul do país", escreveu.

"Trabalhador com contrato de zero hora substitui ocupado assalariado de jornada plena. Mesmo com o decréscimo de 661 vagas no total do emprego formal em junho de 2018, o Brasil teve 2,7 mil registros líquidos a mais de contratados com jornada reduzida e instável.Precarização avança", completou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247