Povão continua sendo expulso dos aviões

Sob a administração de Michel Temer, o brasileiro anda cada vez menos de avião; a aviação brasileira teve em janeiro o décimo oitavo mês seguido de retração, informou ontem a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que espera a retomada do crescimento no setor apenas para o fim do ano; tráfego aéreo doméstico medido em passageiros-quilômetros transportados (RPK, na sigla em inglês) caiu 1,4% em janeiro ante igual mês de 2016

Passageiros aguardam no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. 24/06/2014 REUTERS/Sergio Moraes
Passageiros aguardam no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. 24/06/2014 REUTERS/Sergio Moraes (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A aviação nacional teve em janeiro o décimo oitavo mês seguido de retração, segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que espera a retomada do crescimento no setor apenas para o fim do ano. O tráfego aéreo doméstico medido em passageiros-quilômetros transportados (RPK, na sigla em inglês) caiu 1,4% em janeiro ante igual mês de 2016.

As informações são de reportagem do Valor.

"Em janeiro, a oferta das aéreas brasileiras, em assentos-quilômetros disponíveis (ASK), encolheu 2,7%, o décimo sexto mês seguido de retração. Como a capacidade caiu mais que a demanda, a taxa de ocupação das empresas subiu de 83,2% para 84,4%.

A Gol encerrou janeiro como a maior companhia aérea doméstica, com 38,8% da demanda - ante 38,7% um ano antes. A Latam Brasil teve a fatia reduzida de 34,4% para 31,2%. A Azul encerrou o mês passado com 18,1% do mercado (17,2% um ano antes), e a Avianca, com 11,8% (ante 9,8%)."

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247