Pré-sal, que Parente cede a estrangeiros, já é 50% da produção nacional

A produção de petróleo nos campos do pré-sal já representa quase a metade da produção total de petróleo no Brasil; em janeiro deste ano, a produção em 73 poços no pré-sal atingiu 1,27 milhão de barris por dia, o que representa 47,4% do total produzido nacionalmente; em relação a janeiro de 2016, a produção de petróleo no primeiro mês deste ano cresceu 14,2%, com impulso das áreas do pré-sal, que registrou novo recorde; apesar dos dados positivos, a gestão de Pedro Parente na Petrobras tem favorecido empresas estrangeiras em detrimento das nacionais em licitações e vendido ativos importantes também para os estrangeiros

A produção de petróleo nos campos do pré-sal já representa quase a metade da produção total de petróleo no Brasil; em janeiro deste ano, a produção em 73 poços no pré-sal atingiu 1,27 milhão de barris por dia, o que representa 47,4% do total produzido nacionalmente; em relação a janeiro de 2016, a produção de petróleo no primeiro mês deste ano cresceu 14,2%, com impulso das áreas do pré-sal, que registrou novo recorde; apesar dos dados positivos, a gestão de Pedro Parente na Petrobras tem favorecido empresas estrangeiras em detrimento das nacionais em licitações e vendido ativos importantes também para os estrangeiros
A produção de petróleo nos campos do pré-sal já representa quase a metade da produção total de petróleo no Brasil; em janeiro deste ano, a produção em 73 poços no pré-sal atingiu 1,27 milhão de barris por dia, o que representa 47,4% do total produzido nacionalmente; em relação a janeiro de 2016, a produção de petróleo no primeiro mês deste ano cresceu 14,2%, com impulso das áreas do pré-sal, que registrou novo recorde; apesar dos dados positivos, a gestão de Pedro Parente na Petrobras tem favorecido empresas estrangeiras em detrimento das nacionais em licitações e vendido ativos importantes também para os estrangeiros (Foto: Gisele Federicce)

247 - A produção de petróleo nos campos do pré-sal já representa quase a metade da produção total de petróleo no Brasil. Em janeiro deste ano, a produção em 73 poços no pré-sal atingiu 1,27 milhão de barris por dia, o que representa 47,4% do total produzido nacionalmente. 

Em relação a janeiro de 2016, a produção de petróleo no primeiro mês deste ano cresceu 14,2%, com impulso das áreas do pré-sal, que registrou novo recorde. Somando petróleo e gás natural, o pré-sal em janeiro produziu 1,588 milhão de barris de óleo equivalente por dia, alta de 1,1% em relação a dezembro.

Leia mais sobre os dados da produção de janeiro na reportagem da Reuters:

Produção de petróleo no Brasil recua após bater recorde em dezembro

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção de petróleo no Brasil em janeiro somou 2,687 milhões de barris por dia (bpd), um recuo de 1,6 por cento ante o recorde registrado em dezembro, após paradas para manutenção realizadas pela Petrobras na Bacia de Campos, apontaram dados da agência reguladora do setor de petróleo (ANP), nesta quinta-feira.

Em relação a janeiro de 2016, a produção de petróleo no primeiro mês deste ano cresceu 14,2 por cento, com impulso das áreas do pré-sal, que registrou novo recorde.

Da produção total de petróleo em janeiro, um volume de 1,276 milhão de bpd teve origem em 73 poços do pré-sal, operados pela Petrobras, em parceria com companhias privadas, como a anglo-holandesa Shell.

A produção total de gás natural do país, por sua vez, somou em janeiro 109,9 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d), queda de 1,6 por cento ante o mês anterior e alta de 13,1 por cento em comparação com o mesmo mês de 2016. Do total, 49,5 milhões m3/d foram extraídos do pré-sal.

Somando petróleo e gás natural, o pré-sal em janeiro produziu 1,588 milhão de barris de óleo equivalente por dia, alta de 1,1 por cento em relação a dezembro.

Segundo a ANP, a produção média de petróleo da Petrobras, como concessionária, em janeiro, foi de aproximadamente 2,109 milhões de bpd, queda de 3 por cento ante dezembro.

Em comunicado no mês passado, a Petrobras informou que sua produção caiu em janeiro principalmente devido a realização de manutenção em áreas na Bacia de Campos.

Foram realizadas em janeiro, segundo a Petrobras, parada programada na plataforma P-40, no campo de Marlim Sul, e manutenção em um dos poços produtores interligados ao FPSO Cidade de Anchieta, no Parque das Baleias.

A Shell tornou-se no ano passado a segunda maior produtora do Brasil, perdendo apenas para a Petrobras, após a conclusão da compra da gigante britânica BG, em 15 de fevereiro de 2016. Em terceiro lugar está a Petrogal Brasil.

(Por Marta Nogueira)

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247