Presidente e vices da Caixa pedirão demissão para embolsar salários extras

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi e ao menos três vices do banco aderiram ao plano de demissão voluntária e, por serem funcionários de carreira, ganharão benefícios, como até dez salários extras. Porém, por terem cargos de indicação política, ficarão no banco; segundo reportagem do BuzzFeed, além de Occhi, estão na lista Antônio Carlos Ferreira (Corporativo), Fábio Lenza (Produtos de Varejo) e Roberto Derziê (Governo)

(Brasília - DF 24/11/2016) Presidente Michel Temer durante cerimônia de apresentação do Novo Cartão Construcard. Foto: Beto Barata/PR
(Brasília - DF 24/11/2016) Presidente Michel Temer durante cerimônia de apresentação do Novo Cartão Construcard. Foto: Beto Barata/PR (Foto: Aquiles Lins)

247 - O presidente da Caixa, Gilberto Occhi e ao menos três vices do banco aderiram ao plano de demissão voluntária e, por serem funcionários de carreira, ganharão benefícios, como até dez salários extras. Porém, por terem cargos de indicação política, ficarão no banco.

Segundo reportagem do BuzzFeed, além de Occhi, estão na lista Antônio Carlos Ferreira (Corporativo), Fábio Lenza (Produtos de Varejo) e Roberto Derziê (Governo).

Nenhuma regra impede o presidente e os vices de aderirem ao plano, porque todos são funcionários de carreira do banco — os quatro ingressaram na Caixa por meio de concurso, nos anos 1980. Um decreto de 2012, editado após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor, permite que o banco não divulgue a remuneração de seus dirigentes. O valor exato não é público, mas cada membro da cúpula recebe por volta de R$ 40 mil ao mês.

De acordo com as normas internas do banco, apenas diretores-executivos são obrigados a deixar os cargos caso peçam demissão. Atualmente, dos 12 vice-presidentes da Caixa, 9 são funcionários de carreira.

Procurada, a Caixa disse em nota ao BuzzFeed Brasil que fez uma consulta à Comissão de Ética da Presidência da República sobre a possibilidade de seus dirigentes aderiram ao plano. O órgão deve emitir um parecer sobre o tema até o final do mês, segundo o banco.

"A Caixa esclarece que não haverá nenhuma homologação de demissão de dirigentes do banco enquanto a comissão não der seu parecer", concluiu o banco em nota — leia a íntegra no final deste post.

Leia reportagem do BuzzFeed sobre o assunto. 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247