Previdência 'não deve ser muito desidratada' no Congresso, diz Mansueto

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, avaliou que a reforma da Previdência não deve ser muito desidratada no Congresso Nacional uma vez que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado têm reiterado seu apoio ao projeto; segundo ele, o momento é  positivo para a apreciação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que contaria com o apoio dos governadores para sua aprovação

Previdência 'não deve ser muito desidratada' no Congresso, diz Mansueto
Previdência 'não deve ser muito desidratada' no Congresso, diz Mansueto (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, avaliou nesta quarta-feira que a reforma da Previdência não deve ser muito desidratada no Congresso Nacional uma vez que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado têm reiterado seu apoio à necessidade de aperto nas regras para concessão de aposentadorias.

Falando a jornalistas, Mansueto ressaltou que o momento é mais positivo para a apreciação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), citando, por exemplo, o apoio de governadores para a reforma. Ele indicou, contudo, que o governo federal segue discutindo o que poderá vir na formatação final da proposta para contemplar os interesses dos Estados.

Por Marcela Ayres

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247