Privatização da Eletrobras pode aumentar em 3% o custo das tarifas de energia, indica estudo

Segundo levantamento da TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada do setor elétrico, a elevação nos preços ocorrerá porque "usinas hidrelétricas antigas pertencentes à estatal passarão a vender energia a valores do mercado livre"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A privatização da maior geradora e transmissora de energia do País, a Eletrobras, poderá aumentar o custo das tarifas de energia no Brasil em até 3%, na média, de acordo com estudo da TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada do setor elétrico.

A elevação nos preços ocorrerá, de acordo com o jornal O Globo, porque "usinas hidrelétricas antigas pertencentes à estatal passarão a vender [energia], a valores do mercado livre"

Segundo o levantamento, as mudanças no bolso do consumidor devem acontecer após a "descotização" de usinas, ou seja, de julho de 2021 a julho de 2022.

As usinas serão “descotizadas” para voltarem a participar dos leilões de energia e passarem a cobrar preços competitivos do mercado.

A Eletrobras enviou ao 247 o seguinte comunicado sobre a matéria:

“O estudo da TR soluções sobre a descotização apresenta como conclusão que a descotização implicaria em um aumento tarifário de 3 pp nos reposicionamentos tarifários esperados nos anos de 2021 e 2022.
Porém, a consultoria esclarece que alguns efeitos do Projeto de Lei nº 5.877/2019 não foram considerados no estudo realizado. Dentre estes efeitos, cita-se:

  1. Possibilidade da descontratação da energia elétrica ser feita de forma gradual e uniforme no prazo mínimo de três anos e máximo de 10 anos.
  2. 1/3 do benefício associado a descotização sejam revertidos para a modicidade tarifária por meio da destinação à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), responsável pelo custeio de vários subsídios presentes na tarifa de energia elétrica.

Neste sentido, sem considerar os efeitos anteriormente mencionados, o resultado do estudo é maior do que o impacto que será realmente sentido pelos consumidores.”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247