Receita esconde identidade de quem repatriou recursos

A Receita Federal, subordinada à Fazenda, de Henrique Meirelles, atuou para impedir que a identidade de pessoas físicas e jurídicas que aderiram ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) seja rastreada pelos próprios auditores fiscais; "Ou seja, só com ordem da alta cúpula da Receita os fiscais poderão ter acesso às identidades dos que trouxeram dinheiro de for. Acesso livre para ser fiscalizado é só para nós, que não temos dinheiro dentro, que dirá fora do Brasil", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço

ministro da Fazenda, Henrique Meirelles
ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

Sabe aquela turma do “Leão” que cria caso com aquela nota fiscal de exame de sangue, que implica com desconto de pensão alimentícia e que vai em cima dos cinco ou dez mil reais que você ganhou numa ação trabalhista, catando trocados enquanto os tubarões ganham perdão?

Pois tem mais uma, agora no episódio da repatriação de capitais autorizada no ano passado. O Valor informa, com documentos, que a Receita Federal “atuou para impedir que a identidade de pessoas físicas e jurídicas que aderiram ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) seja rastreada pelos próprios auditores fiscais”.

Documento obtido pelo jornal diz que, para proteger o sigilo fiscal dos que repatriaram dinheiro do exterior, “todos os Documentos de Arrecadação de Receitas Federais pagos para a adesão foram armazenados (…) com o identificador alterado para o número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da Secretaria da Receita Federal do Brasil”

Ou seja, só com ordem da alta cúpula da Receita os fiscais poderão ter acesso às identidades dos que trouxeram dinheiro de for. Acesso livre para ser fiscalizado é só para nós, que não temos dinheiro dentro, que dirá fora do Brasil.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247