Recessão de Temer derruba preço e aluguel de imóveis

Preço médio dos imóveis comerciais no Brasil em 2016 caiu, em termos nominais, 3,2% para a venda e 7,9% para locação ante 2015, segundo o índice FipeZap Comercial - que monitora o valor de conjuntos e salas com até 200 metros quadrados nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre; considerando uma inflação de 6,29 por cento em 2016, houve queda real de 8,9 por cento no preço de venda e de 13,4 por cento no de locação, mostrou a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap

Preço médio dos imóveis comerciais no Brasil em 2016 caiu, em termos nominais, 3,2% para a venda e 7,9% para locação ante 2015, segundo o índice FipeZap Comercial - que monitora o valor de conjuntos e salas com até 200 metros quadrados nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre; considerando uma inflação de 6,29 por cento em 2016, houve queda real de 8,9 por cento no preço de venda e de 13,4 por cento no de locação, mostrou a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap
Preço médio dos imóveis comerciais no Brasil em 2016 caiu, em termos nominais, 3,2% para a venda e 7,9% para locação ante 2015, segundo o índice FipeZap Comercial - que monitora o valor de conjuntos e salas com até 200 metros quadrados nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre; considerando uma inflação de 6,29 por cento em 2016, houve queda real de 8,9 por cento no preço de venda e de 13,4 por cento no de locação, mostrou a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - O preço médio dos imóveis comerciais no Brasil em 2016 caiu, em termos nominais, 3,2 por cento para a venda e 7,9 por cento para locação ante 2015, segundo o índice FipeZap Comercial - que monitora o valor de conjuntos e salas com até 200 metros quadradros nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Considerando uma inflação de 6,29 por cento em 2016, houve queda real de 8,9 por cento no preço de venda e de 13,4 por cento no de locação, mostrou a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap.

De acordo com a pesquisa, os investidores em salas comerciais nessas localidades tem registrado perdas em relação a investimentos mais conservadores, como CDIs. "Em 2016, enquanto o CDI rendeu 14,0 por cento, os proprietários de saletas que estavam locadas tiveram um retorno médio de 2,0 por cento", disse a pesquisa FipeZap.

Em dezembro, o preço médio do metro quadrado para atividade comercial estava em 10.260 reais para venda, e em 44 reais para locação.

Das quatro cidades pesquisadas, Rio de Janeiro é que tinha os imóveis comerciais mais caros para venda em dezembro (11.666 reais por metro quadrado). Para aluguel, contudo, a capital carioca ficava atrás de São Paulo, onde o metro quadrado era locado por, em média, 47 reais.

Belo Horizonte era região com salas e conjuntos comerciais mais baratos para venda (7.437 reais por metro quadrado), e Porto Alegre era a que tinha o menor custo de aluguel, com 32 reais por metro quadrado alugado.

(Por Gabriela Mello)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247