Reformista da Previdência diz que o mundo é machista

O secretário de Previdência, Marcelo Caetano, ao defender a ampliação do tempo contribuição para as mulheres, argumentou que, se a proposta de reforma da Previdência de Michel Temer for considerada machista, o mundo inteiro também é machista; "Se somos [machistas], então o mundo inteiro é. A questão da igualdade de tratamento previdenciário, você vê em vários outros países", afirmou

Marcelo Caetano
Marcelo Caetano (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ao defender a ampliação do tempo contribuição para as mulheres, o secretário de Previdência, Marcelo Caetano, argumentou que, se a proposta de reforma da Previdência de Michel Temer for considerada machista, o mundo inteiro também é machista. "Se somos [machistas], então o mundo inteiro é. A questão da igualdade de tratamento previdenciário, você vê em vários outros países", afirmou.

As informações são de reportagem de Laís Alegrette na Folha de S.Paulo. 

"A proposta enviada em dezembro do ano passado ao Congresso Nacional iguala as regras de aposentadoria para homens e mulheres. A regra geral é uma idade mínima de 65 anos, com pelo menos 25 anos de contribuição, para ambos os sexos. Atualmente, as mulheres podem se aposentar com 30 anos de contribuição e os homens, com 35 anos.

Arnaldo Lima, assessor especial do Ministério da Previdência, também destacou que os indicadores do mercado de trabalho indicam aproximação nas condições dos homens e das mulheres.

A diferença do rendimento entre homens e mulheres é de 99% para a população até 23 anos. Para os que tem 54 anos ou mais, no entanto, a proporção ainda é de 64%."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247