Safra, Gerdau e ex-chefe da Receita caem na Zelotes

Polícia Federal investiga envolvimento do Banco Safra, de Joseph Safra, de uma empresa de Jorge Gerdau e do ex-secretário da Receita Otacílio Cartaxoa em esquema de fraude contra a Receita Federal estimada em R$ 19 bilhões; também foi citado no caso Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, pai do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), líder do PP, também investigado pela Lava-Jato; Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da Fazenda cumpriram 41 mandatos de busca e apreensão nesta quinta-feira

www.brasil247.com - Polícia Federal investiga envolvimento do Banco Safra, de Joseph Safra, de uma empresa de Jorge Gerdau e do ex-secretário da Receita Otacílio Cartaxoa em esquema de fraude contra a Receita Federal estimada em R$ 19 bilhões; também foi citado no caso Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, pai do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), líder do PP, também investigado pela Lava-Jato; Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da Fazenda cumpriram 41 mandatos de busca e apreensão nesta quinta-feira
Polícia Federal investiga envolvimento do Banco Safra, de Joseph Safra, de uma empresa de Jorge Gerdau e do ex-secretário da Receita Otacílio Cartaxoa em esquema de fraude contra a Receita Federal estimada em R$ 19 bilhões; também foi citado no caso Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, pai do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), líder do PP, também investigado pela Lava-Jato; Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da Fazenda cumpriram 41 mandatos de busca e apreensão nesta quinta-feira (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Além do Banco Safra, de Joseph Safra, a operação Zelotes, da Polícia Federal, que apura fraudes contra a Receita Federal estimada em R$ 19 bilhões, investiga uma empresa de Jorge Gerdau e o ex-secretário da Receita Otacílio Cartaxo.

Deflagrada na manhã desta quinta-feira no Distrito Federal, em São Paulo e no Ceará, em parceria com a Receita Federal, o Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da Fazenda cumpriram 41 mandatos de busca e apreensão.

A quadrilha, segundo a PF, fazia um “levantamento” dos grandes processos no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), procurava empresas com altos débitos junto ao Fisco e oferecia "facilidades", como anulação de multas. O esquema teria sido iniciado em 2005, mas começou a ser investigado pela PF em 2013.

Segundo reportagem do Globo, além deles, foi citado no caso Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, pai do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), líder do PP, também investigado pela Lava-Jato (leia mais).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email