Sem indústria dinâmica e inovadora não há desenvolvimento social, diz economista

Em artigo para a série "O Brasil de amanhã", organizada pelo Instituto Lula, o economista e professor da Unicamp Fernando Sarti destaca que "o principal argumento em defesa da indústria brasileira se sustenta no fato que o desenvolvimento social é indissociável do desenvolvimento produtivo"; "Uma indústria forte e dinâmica significa maior criação de empregos diretos e indiretos com rendimentos superiores aos da média da economia", diz ele; leia a íntegra

A indústria do Paraná fechou o primeiro semestre com alta de 2,5% na produção, em comparação com o mesmo período do ano passado. Fábrica da Renault em São José dos Pinhais. Foto: Rodolfo Buhrer
A indústria do Paraná fechou o primeiro semestre com alta de 2,5% na produção, em comparação com o mesmo período do ano passado. Fábrica da Renault em São José dos Pinhais. Foto: Rodolfo Buhrer (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em artigo para a série "O Brasil de amanhã", organizada pelo Instituto Lula, o economista e professor da Unicamp Fernando Sarti destaca que "o principal argumento em defesa da indústria brasileira se sustenta no fato que o desenvolvimento social é indissociável do desenvolvimento produtivo". "Uma indústria forte e dinâmica significa maior criação de empregos diretos e indiretos com rendimentos superiores aos da média da economia", diz ele.

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247