Sem retomada, siderúrgicas reduzem projeções para 2018

Segundo dados do Instituto Aço Brasil (IABr), a projeção de crescimento da produção brasileira de aço bruto caiu de 8,6% para 4,3%, a 35,84 milhões de toneladas; já projeção de crescimento das vendas no mercado interno foi reduzida de 6,6% para 5%, a 17,74 milhões de toneladas; projeções foram revisadas "diante da não retomada do crescimento econômico como esperado"

Sem retomada, siderúrgicas reduzem projeções para 2018
Sem retomada, siderúrgicas reduzem projeções para 2018 (Foto: REUTERS/Stringer)

SÃO PAULO (Reuters) - Os produtores de aço do Brasil reduziram nesta quarta-feira projeções para produção e vendas no mercado interno este ano, em efeito gerado pela greve dos caminhoneiros no final de maio e de uma recuperação da atividade econômica abaixo do esperado.

Segundo dados do Instituto Aço Brasil (IABr), que representa o setor, a projeção para a produção brasileira de aço bruto este ano passou de crescimento de 8,6 por cento para alta de 4,3 por cento, a 35,84 milhões de toneladas.

A projeção de crescimento das vendas no mercado interno foi reduzida de 6,6 por cento para 5 por cento, a 17,74 milhões de toneladas.

As projeções foram revisadas "diante da não retomada do crescimento econômico como esperado", afirmou a entidade a jornalistas, citando ainda que a greve dos caminhoneiros "contaminou parte do crescimento da indústria de aço em 2018".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247