STF homologa delação de ex-vice da Caixa

Ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, validou o acordo de delação premiada firmado por Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Loterias da Caixa Econômica Federal; em seus depoimentos, ele fez acusações contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra Henrique Eduardo Alves (PMDB), que pediu demissão ontem do cargo de ministro do Turismo

Ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, validou o acordo de delação premiada firmado por Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Loterias da Caixa Econômica Federal; em seus depoimentos, ele fez acusações contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra Henrique Eduardo Alves (PMDB), que pediu demissão ontem do cargo de ministro do Turismo
Ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, validou o acordo de delação premiada firmado por Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Loterias da Caixa Econômica Federal; em seus depoimentos, ele fez acusações contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra Henrique Eduardo Alves (PMDB), que pediu demissão ontem do cargo de ministro do Turismo (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, homologou o acordo de delação premiada firmado por Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Loterias da Caixa Econômica Federal.

Em seus depoimentos, ele fez acusações contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra Henrique Eduardo Alves (PMDB), que pediu demissão ontem do cargo de ministro do Turismo.

De acordo com Cleto, Cunha fazia parte de um esquema de propina que liberava, em troca, recursos do fundo de investimento do FGTS, o FI-FGTS. Cunha é apontado como responsável por ter indicado para o cargo na Caixa.

Segundo o delator, o deputado recebeu R$ 52 milhões em propina nesse esquema.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247