Taxa de desemprego nos EUA é maior que a divulgada e chega a 25%, diz economista

“A taxa real de desemprego é consideravelmente superior à marca anunciada de 14,7% de abril e ela pode estar perto de 25%". afirma Barry Eichengreen, economista e professor da Universidade da Califórnia

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A recessão causada pela pandemia do novo coronavírus elevou para 25% a taxa de desemprego nos Estados Unidos, índice semelhante ao registrado na Grande depressão dos anos 1930, afirma o professor da Universidade da Califórnia Barry Eichengreen. Ele observa que, em abril, o indicador chegou a 14,7%, mas subiu em função de existirem 5% a mais desempregados do que o apontado nas estatísticas oficiais e outros 5% de desalentados, que desistiram de procurar uma vaga no mercado de trabalho. 

Ainda segundo ele, o Produto Interno Bruto norte-americano deverá encolher 5,9% e que o país está longe de adotar medidas eficazes para conter o avanço da pandemia. “A taxa real de desemprego é consideravelmente superior à marca anunciada de 14,7% de abril e ela pode estar perto de 25%. O Escritório de Estatísticas do Trabalho (BLS, na sigla em inglês) aponta em seu relatório que há 5% da força de trabalho que não está trabalhando por outros motivos? e provavelmente são pessoas desempregadas. Além disso, há 5% adicionais de cidadãos em desalento” , disse Eichengreen em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo

Para ele, a recuperação da economia norte-americana dependerá de como se dará o enfrentamento da pandemia. “Tudo o que fizermos em relação a gastos do governo e ações do banco central serão secundárias ou quase irrelevantes se não for atacada a emergência pública. A política monetária adotada nos EUA funcionou para evitar a desestabilização dos mercados financeiros”, destacou.

“ A política fiscal ajuda a colocar comida na mesa de quase um quarto da mão de obra nos EUA, que na prática já está desempregada. Foram adotadas medidas para ajudar pequenas empresas, como restaurantes, para evitar fechar completamente suas portas. Mas infelizmente ocorrerá a falência de muitos destas companhias”, emendou Eichengreen.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247