TCU estima R$ 42 bilhões em pagamentos indevidos no auxílio emergencial

Dentre o valor anunciado, R$ 23,7 bilhões seriam referentes a 6,4 milhões de beneficiários e os outros R$ 18,4 bilhões a mães solteiras que foram indevidamente cadastradas como chefes de domicílio

TCU / Fila na CEF
TCU / Fila na CEF (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado | Lucas Landau/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) calculou que podem chegar ao valor de R$ 42,1 bilhões os pagamentos indevidos do auxílio emergencial, segundo reportagem do jornal O Globo, que informa que o relatório deve ser votado nesta quarta-feira, 26, pelo plenário do tribunal.

Dentre o valor anunciado, R$ 23,7 bilhões seriam referentes a 6,4 milhões de beneficiários e os outros R$ 18,4 bilhões a mães solteiras que foram indevidamente cadastradas como chefes de domicílio - o que garante receber, ao invés dos R$ 600 mensais, R$ 1,2 mil.

O órgão judicial ainda critica a forma como o governo de Jair Bolsonaro prorrogou as parcelas de julho e agosto e afirma que o governo, por meio do Ministério da Cidadania, não está fazendo auditoria para ver se todos os beneficiários ainda se encaixam nos requisitos do programa, ressaltando que mais de 2 milhões de pessoas entraram no mercado de trabalho formal durante a pandemia.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email