Temer escancara cofres públicos para empresas estrangeiras

Depois de entregar de bandeja o mercado de petróleo no Brasil, a administração de Michel Temer acena a investidores estrangeiros com mais uma benesse; na surdina, um decreto presidencial editado na semana passada atualizou e ampliou lista de atividades econômicas de "alto interesse nacional", autorizando o recebimento de crédito do Tesouro Nacional, de fundos e bancos públicos por empresas de capital majoritariamente estrangeiro; às vésperas de uma temporada de privatizações e de concessões de serviços públicos, a novidade animou as companhias de fora do país

Eliseu Padilha, Michel Temer e Henrique Meirelles
Eliseu Padilha, Michel Temer e Henrique Meirelles (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Depois de entregar de bandeja o mercado de petróleo no Brasil, a administração de Michel Temer acena a investidores estrangeiros com mais uma benesse. Na surdina, um decreto presidencial editado na semana passada atualizou e ampliou lista de atividades econômicas de "alto interesse nacional", autorizando o recebimento de crédito do Tesouro Nacional, de fundos e bancos públicos por empresas de capital majoritariamente estrangeiro. Às vésperas de uma temporada de privatizações e de concessões de serviços públicos, a novidade animou as companhias de fora do país.

As informações são de reportagem de Luciano Máximo do Valor.

Enquanto isso, o crédito para a indústria e empresas nacionais mingua.

"O Decreto 8.957, assinado por Temer e pelos ministros da Fazenda, Eduardo Guardia (interino), e do Planejamento, Dyogo Oliveira, tem base no artigo 39 da Lei 4.131, de 1962, que garante empréstimos públicos apenas a empresas estrangeiras que atuam em setores de "alto interesse nacional", e altera o Decreto 2.233, de 1997, que modificou a lei anterior e serviu como parâmetro para empréstimos do BNDES a grupos internacionais que participaram das privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso. Para especialistas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é protagonista desse movimento."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email