Temer se diz ungido por Deus e afirma que não deu o golpe para destruir trabalhadores

Responsável pela maior taxa de desemprego da história do Brasil, com mais de 14 milhões de pessoas sem trabalho, e articulando o desmonte da CLT e da Previdência, Michel Temer afirmou em discurso que não chegou ao governo para "destruir trabalhadores"; em discurso a portas fechadas no Palácio do Planalto, em vez de admitir os erros, Temer disse ver uma luta política contra seu governo; "Até parece que chegamos aqui para destruir os trabalhadores. O destino me colocou aqui, Deus me colocou aqui para cumprir uma missão difícil", afirmou

Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto 12/4/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto 12/4/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Michel Temer, responsável pela maior taxa de desemprego da história do Brasil, com mais de 14 milhões de pessoas sem trabalho, e articulando o desmonte da CLT e da Previdência, afirmou em discurso que não chegou ao governo para "destruir trabalhadores".

Em discurso a portas fechadas no Palácio do Planalto, em vez de admitir os erros, Temer disse ver uma luta política contra seu governo.

As informações são de reportagem de Marina Dias na Folha de S.Paulo

No discurso, Temer demonstrou se sentir injustiçado e falou quesua gestão sofre com a campanha contra as reformas trabalhista e previdenciária, alvo de resistência, inclusive, entre integrantes de sua base aliada.

E"m defesa das propostas, ambas em tramitação no Congresso, Temer admitiu que a reforma da Previdência é 'saborosa para a oposição e amarga para a situação" e disse que as mudanças nas leis trabalhistas não retiram direitos dos trabalhadores. 'As mentiras alardeadas têm sido brutais', declarou

'Até parece que chegamos aqui para destruir os trabalhadores. O destino me colocou aqui, Deus me colocou aqui para cumprir uma missão difícil, complicada', completou Temer.'

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247