Temer vai ampliar o rombo em mais de R$ 100 bi no segundo semestre

Até o fim de dezembro, o governo interino de Michel Temer projeta gasto recorde de R$ 95,4 bilhões a mais do que o montante desembolsado no primeiro semestre; ao mesmo tempo, a estimativa oficial é que as receitas da União caiam R$ 10 bilhões; com isso, o déficit do segundo semestre deste ano poderá chegar a R$ 138 bilhões - mais de quatro vezes aquele registrado de janeiro a junho, quando ficou em R$ 32,5 bilhões, de acordo com dados divulgados ontem pelo Tesouro

Até o fim de dezembro, o governo interino de Michel Temer projeta gasto recorde de R$ 95,4 bilhões a mais do que o montante desembolsado no primeiro semestre; ao mesmo tempo, a estimativa oficial é que as receitas da União caiam R$ 10 bilhões; com isso, o déficit do segundo semestre deste ano poderá chegar a R$ 138 bilhões - mais de quatro vezes aquele registrado de janeiro a junho, quando ficou em R$ 32,5 bilhões, de acordo com dados divulgados ontem pelo Tesouro
Até o fim de dezembro, o governo interino de Michel Temer projeta gasto recorde de R$ 95,4 bilhões a mais do que o montante desembolsado no primeiro semestre; ao mesmo tempo, a estimativa oficial é que as receitas da União caiam R$ 10 bilhões; com isso, o déficit do segundo semestre deste ano poderá chegar a R$ 138 bilhões - mais de quatro vezes aquele registrado de janeiro a junho, quando ficou em R$ 32,5 bilhões, de acordo com dados divulgados ontem pelo Tesouro (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Até o fim de dezembro, o governo interino de Michel Temer projeta gasto recorde de R$ 95,4 bilhões a mais do que o montante desembolsado no primeiro semestre. Ao mesmo tempo, a estimativa oficial é que as receitas da União caiam R$ 10 bilhões. Com isso, o déficit do segundo semestre deste ano poderá chegar a R$ 138 bilhões - mais de quatro vezes aquele registrado de janeiro a junho, quando ficou em R$ 32,5 bilhões, de acordo com dados divulgados ontem pelo Tesouro.

Segundo reportagem de Ribamar Oliveira, só as despesas da Previdência Social devem aumentar R$ 45,3 bilhões quando comparadas ao gasto do primeiro semestre. Desde 2014, o governo transferiu o pagamento das sentenças judiciais do INSS para o fim do ano. Além disso, as despesas com benefícios previdenciários serão maiores porque uma greve de servidores reduziu os gastos da Previdência em 2015.

Já as despesas com o pagamento dos servidores públicos aumentarão R$ 24,3 bilhões, na comparação com o primeiro semestre, por causa dos reajustes salariais concedidos, que passarão a ser pagos a partir de agosto - leia aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247