Tereza Campello: se o auxílio emergencial não for renovado, viveremos o caos

À TV 247, a ex-ministra Tereza Campello alertou que o Brasil já se encontra “nos patamares de 2002 em termos de níveis de pobreza”, reflexo da crise econômica agravada pelo cenário pandêmico. “Custa muito mais não continuar [com o auxílio]”, disse. Assista

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A economista e ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Tereza Campello, em participação no programa “Pauta Brasil'', exibido na TV 247, fez um grave alerta sobre a situação socioeconômica da população brasileira.

“O Brasil já vinha com taxa alta de desemprego, cerca de 38 milhões de brasileiros queriam estar trabalhando, entre 20 e 30% da população em situação de desemprego e que vão acabar, com o fim do auxílio emergencial, indo para a rua tentar sobreviver”, disse a economista. “Se o auxílio emergencial não for renovado viveremos o caos”, completou.

Campello ainda apontou que o Brasil voltou aos patamares de 2002 em termos de níveis de pobreza. “Custa muito mais não continuar [com o auxílio]. Temos que construir um caminho para a justiça tributária, para que os muitos ricos e os que ganharam, inclusive com a crise da Covid-19, nos ajudem a sair do buraco que o país entrou”, disse.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e assissta: 


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email