TV 247 entrevista o banqueiro Luiz Cezar Fernandes

A TV 247 entrevista nesta manhã o banqueiro Luiz Cezar Fernandes, que fundou instituições como Garantia e Pactual, e fez um importante alerta nesta semana, ao dizer que o Brasil pode estar caminhando para um calote da dívida interna

A TV 247 entrevista nesta manhã o banqueiro Luiz Cezar Fernandes, que fundou instituições como Garantia e Pactual, e fez um importante alerta nesta semana, ao dizer que o Brasil pode estar caminhando para um calote da dívida interna
A TV 247 entrevista nesta manhã o banqueiro Luiz Cezar Fernandes, que fundou instituições como Garantia e Pactual, e fez um importante alerta nesta semana, ao dizer que o Brasil pode estar caminhando para um calote da dívida interna (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A TV 247 entrevista nesta manhã, às 10h15, o banqueiro Luiz Cezar Fernandes, que fundou instituições como Garantia e Pactual, e fez um importante alerta nesta semana, ao dizer que o Brasil pode estar caminhando para um calote da dívida interna.

Leia, abaixo, artigo em que Cezar expôs seus argumentos:

APERTE O BOLSO: O CALOTE VEM AÍ

Por Luiz Cezar Fernandes *

O PRÓXIMO GOVERNO SE SENTIRÁ SEDUZIDO, INEVITAVELMENTE, POR UM CALOTE NA DÍVIDA PÚBLICA.

O crescimento da dívida pública interna atingirá 100% do Produto Interno Bruto – PIB do Brasil, já na posse do próximo governo. A situação será insustentável, gerando uma completa ingovernabilidade.

Os bancos, hoje cartelizados em 5 grandes organizações, têm diminuído assustadoramente os empréstimos ao setor privado e vêm aumentando, em proporção inversa, a aplicação em títulos da dívida pública.

Os países que recentemente entraram em default, como a Grécia, não causaram grandes impactos internos, pois sua dívida era sobretudo externa e em grande parte pulverizada, inclusive em bancos centrais, fundos mútuos e de pensão.

O caso do Brasil é essencialmente diverso. Um default nossa dívida interna implicará na falência do sistema, atingindo de grandes bancos a pessoas físicas, passando por family offices e afins.

Para evitarem uma corrida bancária, as grandes instituições bancárias terão, obrigatoriamente, que impedir seus clientes de efetuarem os saques de suas poupanças à vista ou a prazo.

Caso contrário, teremos uma situação ainda mais grave que a vivida pela Venezuela Reformas já ou só restará o CALOTE.

* Luiz Cezar Fernandes é sócio da Grt Partners.

Siga a página do 247 no Facebook e inscreva-se em nosso canal no YouTube para acompanhar.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247