Últimos indicadores preocupam e apontam recessão econômica iminente

O Brasil mal saiu de uma recessão e já caminha para outra. Os dados de maio dos três principais setores produtivos — indústria, comércio e serviços — mostram a paralisia da economia

(Foto: Reuters | PR)

247 - O Brasil mal saiu de uma recessão e já caminha para outra. Os dados de maio dos três principais setores produtivos — indústria, comércio e serviços — mostram a paralisia da economia. Para alguns especialistas, o fraco desempenho das atividades terá impacto no Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre de 2019, que pode ser negativo. Como nos primeiros três meses do ano, o indicador, que representa a soma de toda riqueza produzida no país, recuou 0,2%, serão dois trimestres seguidos de queda, o que configura recessão técnica. A reportagem é do Correio Braziliense. 

O volume de serviços no Brasil ficou estável (0,0%) em maio na comparação com o mês anterior, após ter avançado 0,5% em abril, quando interrompeu três taxas negativas seguidas, com perda acumulada de 1,6%, divulgou nesta sexta-feira (12/7) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produção industrial caiu -0,2%, e as vendas do comércio recuaram 0,1% na mesma comparação, de acordo com outras duas pesquisas do órgão. Apenas o varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, teve alta de 0,2% em maio.

A reportagem consultou André Perfeito, economista-chefe da Necton, que aponta uma recessão técnica. “Os dados são muito fracos, indústria caiu, varejo, também, serviços no zero a zero. Pelo nosso modelo de projeção, o PIB terá queda de 0,1% no segundo trimestre, após a contração de 0,2% no primeiro”, destacou.

Conforme Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o setor está 1,1% abaixo do patamar de dezembro de 2018. “Houve perda de dinamismo, sobretudo no segmento de transportes (-0,6%), que recua pelo segundo mês consecutivo 0,6%”, disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247