PUBLICIDADE

“O governo justifica que a fome da pandemia deixou tudo mais urgente. Se Bolsonaro se preocupasse realmente com isso, não teria suspendido o auxílio emergencial de janeiro a abril e sugerido a quem passava fome que procurasse empréstimo no banco”, aponta o jornalista

PUBLICIDADE

Ao vivo na TV 247 Youtube 247

Cortes 247

Revista Brasil 247