1º lugar em mestrado em Portugal, piauiense é filho de lavradora

Vivendo sob o sol escaldante, enfrentando a seca e a fome na caatinga nordestina no interior do Piauí e dividindo os poucos alimentos providos pela mãe, uma lavradora, com nove irmãos, Iderlan de Souza, 31 anos, passou em primeiro lugar no mestrado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Portugal; o curso, de arqueologia pré-histórica e arte rupestre, é formado por um consórcio de seis universidades europeias e faz parte do programa Erasmus Mundus

Vivendo sob o sol escaldante, enfrentando a seca e a fome na caatinga nordestina no interior do Piauí e dividindo os poucos alimentos providos pela mãe, uma lavradora, com nove irmãos, Iderlan de Souza, 31 anos, passou em primeiro lugar no mestrado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Portugal; o curso, de arqueologia pré-histórica e arte rupestre, é formado por um consórcio de seis universidades europeias e faz parte do programa Erasmus Mundus
Vivendo sob o sol escaldante, enfrentando a seca e a fome na caatinga nordestina no interior do Piauí e dividindo os poucos alimentos providos pela mãe, uma lavradora, com nove irmãos, Iderlan de Souza, 31 anos, passou em primeiro lugar no mestrado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Portugal; o curso, de arqueologia pré-histórica e arte rupestre, é formado por um consórcio de seis universidades europeias e faz parte do programa Erasmus Mundus (Foto: Voney Malta)

Piauí 247 – Iderlan de Souza, 31 anos, passou boa parte de sua vida dividindo os poucos alimentos providos pela mãe, lavradora, com mais nove irmãos. Vivendo sob o sol escaldante, enfrentando a seca e a fome comuns na caatinga nordestina no interior do Piauí, é uma exceção exemplar de superação.

Mas nunca se resignou diante das limitações impostas pelo meio onde nasceu. Ele foi o primeiro da família a entrar na faculdade e se formou em arqueologia em 2016. Depois passou em primeiro lugar no mestrado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Portugal. O curso, de arqueologia pré-histórica e arte rupestre, é formado por um consórcio de seis universidades europeias e faz parte do programa Erasmus Mundus.

Iderlan nasceu dentro do Parque Nacional da Serra da Capivara, que tem a maior concentração de sítios arqueológicos das Américas. Ele entrou na faculdade e se formou em arqueologia pela Universidade Federal do Vale do São Francisco, criada nos anos 2000 para atender o semiárido, com campi em três Estados do Nordeste.

A monografia dele foi sobre a relação entre o homem e a megafauna e foi considerada inovadora, segundo reportagem da folha.uol (leia aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247