492 casos de Zika estão sob investigação

De janeiro a 12 de março Maceió teve 313 casos suspeitos de dengue, 67 de febre chikungunya e outros 492 de zika vírus; os dados são do Boletim Epidemiológico da Coordenação de Vigilância Epidemiológica; e até 18 de março foram recebidos 62 casos suspeitos de microcefalia por infecção pelo Zika de pacientes residentes na capital; destes, 35 foram descartados e quatro foram confirmados como microcefalia

dengue
dengue (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Maceió teve 313 casos suspeitos de dengue, 67 de febre chikungunya e outros 492 de zika vírus apenas este ano. Os dados são do Boletim Epidemiológico da Coordenação de Vigilância Epidemiológica ligado à Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e compreendem o período de janeiro a 12 de março.

Com relação à dengue, a maior incidência está nos bairros de Ponta Verde (278,27%/100 mil hab), Pontal da Barra (156,76%/100 mil hab) e Jaraguá (110,61/ 100 mil hab). Foram notificados ainda sete casos de dengue grave, sendo um confirmado, no Tabuleiro, e três óbitos suspeitos, que estão sob investigação.

Já quanto às notificações de chikungunya, foram 67 delas, sendo sete confirmados por laboratório, 22 por critério clínico epidemiológico, um descartado e os demais estão em investigação.

É considerado casos suspeitos os de pacientes com febre de início súbito maior que 38,5º C e artralgia (dor em uma ou mais articulação do corpo) ou artrite intensa de início agudo, não explicado por outras condições. Nesses casos, é recomendado procurar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

Os maiores números são mesmo do zika vírus, com 492 casos suspeitos. Destes, nove são gestantes e foram registrados na Pediatria 24h, Ambulatório Noélia Lessa, Santa Casa de Misericórdia, Unimed, Mini pronto Socorro Assis Chateaubriand, Hospital Hélvio Auto, Unidade de Saúde Pitanguinha, HGE e Hospital Universitário. 

São suspeitos de Doença Aguda pelo Zika vírus pacientes que apresentem exantema maculopapular pruriginoso (erupção cutânea que altera a aparência, cor e textura da pele com coceira) e febre, acompanhado de pelo menos um desses sinais: conjuntivite sem secreção e prurido, poliartralgia ou edema periarticular.

Microcefalia

Até 18 de março deste ano, foram recebidos 62 casos suspeitos de microcefalia por infecção pelo Zika de pacientes residentes em Maceió. Destes, 35 foram descartados e quatro foram confirmados como microcefalia possivelmente relacionados ao vírus. Não houve registro de óbito.

Com gazetaweb.com e assessoria

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247