A cada hora, 10 mulheres são agredidas em Minas

Apenas nos primeiros quatro meses de 2012, foram registradas mais de 31 mil ocorrências de violência doméstica. O número é 6% maior do que o apurado no mesmo período do ano passado

A cada hora, 10 mulheres são agredidas em Minas
A cada hora, 10 mulheres são agredidas em Minas (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – Dados alarmantes foram divulgados pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). De janeiro a abril deste ano 31.522 ocorrências policiais foram feitas com registro de violência doméstica contra mulheres. Os números, que já preocupam por si só e são 6% maiores do que os registrados no mesmo período do ano passado, podem ser muito maiores, visto que boa parte das mulheres não denunciam a violência sofrida.

Confira a matéria do jornalista Fernando Zuba, do jornal Hoje em Dia

Criada em 2006 para coibir e prevenir a violência doméstica, a Lei Maria da Penha prova, mais uma vez, sua ineficácia. De janeiro a abril, foram registradas 31.522 ocorrências de diferentes tipos de agressões, o que representa uma média de 260 vítimas por dia – ou 10,8 ataques por hora.

A violência supera em 6% à contabilizada no mesmo quadrimestre de 2011, quando o número de denúncias foi de 29.805 (média de 10,2 por hora). Na avaliação da delegada Elizabeth Rocha, da Delegacia de Atendimento à Mulher, os dados da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), embora alarmantes, certamente são ainda maiores, uma vez que há subnotificação. “Muitas vítimas desistem de denunciar os agressores por motivos diversos, como a dependência financeira ou emocional, ou ainda para tentar evitar o sofrimento dos filhos”, explica.

Sobre a Lei Maria da Penha, a delegada considera que vários fatores prejudicam sua aplicação, como a falta de agentes públicos para fazer cumpri-la e a morosidade da Justiça em conceder medidas protetivas. “O Estado não tem pessoal para dar efetividade às sanções determinadas pelo Judiciário ao acusado”, diz Elizabeth.

Na capital

O crescimento da violência praticada contra as mulheres não se restringe ao interior de Minas. Na capital, considerando apenas o primeiro semestre do ano passado, 4.199 medidas protetivas foram encaminhadas pela delegacia à Justiça, contra 4.818 em 2012, cerca de 15% a mais.

A delegada acredita que a solução para tentar conter as agressões passa pela reestruturação da Polícia Civil, do Poder Judiciário e do Ministério Público. “As instituições deveriam trabalhar de maneira unificada para garantir o cumprimento da lei e também acelerar a punições”, conclui Elizabeth. As ocorrências variam de ameaças a lesões corporais graves, em que se faz necessário o exame de corpo de delito.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247