A cinco dias da Copa do Mundo, brasileiro ignora o evento

A apenas cinco dias do início da Copa do Mundo de Futebol da Russia, o brasileiro sofre uma apatia inédita com relação ao evento; não há ruas enfeitadas, não há venda de camisas, não há comercialização de bandeiras e não há procura por notícias nos buscadores digitais; o desinteresse por futebol se alastrou não apenas pela seleção: é crescente entre torcedores; uma explicação seria a alta taxa de corrupção na CBF e nos próprios clubes, que produziu aversão do torcedor

11.02.2018 - Carnaval Rio 2018 - Desfile na Sapucaí - Paraíso do Tuiuti - Grupo Especial - Gabriel Nascimento | Riotur
11.02.2018 - Carnaval Rio 2018 - Desfile na Sapucaí - Paraíso do Tuiuti - Grupo Especial - Gabriel Nascimento | Riotur (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A apenas cinco dias do início da Copa do Mundo de Futebol da Russia, o brasileiro sofre uma apatia inédita com relação ao evento. Não há ruas enfeitadas, não há venda de camisas, não há comercialização de bandeiras e não há procura por notícias nos buscadores digitais. O desinteresse por futebol se alastrou não apenas pela seleção: é crescente entre torcedores. Uma explicação seria a alta taxa de corrupção na CBF e nos próprios clubes, que produziu aversão do torcedor.

"Parece ser uma unanimidade nacional. Ninguém jamais viu tamanho desinteresse por futebol no país às vésperas de uma Copa do Mundo. A uma semana da estreia no Brasil na Rússia, é raro encontrar uma rua pintada, bandeiras verde e amarela nas janelas, um torcedor entusiasmado com a proximidade de mais um Mundial. 

O bom desempenho da seleção dentro de campo e o carisma do técnico Tite seriam motivos suficientes para deixar o torcedor brasileiro otimista. Mas não é o que se vê Brasil a fora. Há várias teses para explicar este distanciamento. Desde o abalo na confiança por causa dos 7 a 1 de 2014 ao momento do país, que deixa qualquer um desanimado. “Tenho viajado muito pelo Brasil e observado realmente um distanciamento muito grande da população em relação à seleção. Esse desinteresse se deve a alguns fatores. Primeiro, todo mundo está muito aborrecido com o que tem acontecido no país. Corrupção deslavada, descaso absoluto das autoridades. A população está muito desconfiada e aí a seleção fica em segundo plano”, afirma o sociólogo Maurício Murad, coordenador do Núcleo de Sociologia do Futebol da Uerj."

Leia mais aqui

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247