Acionistas da Inmarsat vão contra remuneração de executivos da empresa

O lucro operacional caiu 4,5 por cento, para 174,9 milhões de dólares, refletindo, segundo a empresa, menor demanda governamental no trimestre.

Acionistas da Inmarsat vão contra remuneração de executivos da empresa
Acionistas da Inmarsat vão contra remuneração de executivos da empresa
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Os investidores da Inmarsat votaram contra o relatório de remuneração da empresa britânica de satélites, deixando claro a insatisfação com o pagamento dos executivos em um ano em que as ações da empresa caíram 35 por cento.

Cerca de 58,5 por cento dos acionistas votaram contra o relatório em uma votação não vinculante na reunião geral anual da empresa nesta quarta-feira.

O presidente Andrew Sukawaty disse que reconhece que os acionistas estão preocupados e que os consultaria antes da reunião geral anual do próximo ano, quando será apresentada uma nova política de remuneração.

O presidente-executivo Rupert Pearce recebeu 1,88 milhão de libras (2,56 milhões de dólares) em 2017, segundo o relatório anual.

Mais cedo nesta quarta-feira, a empresa disse que a crescente demanda por wifi nos voos ajudou a empresa a ter um bom início de ano, elevando suas ações em até 10 por cento.

A Inmarsat, que fornece comunicações para navios, aeronaves e governos, registrou um aumento de 5 por cento na receita do primeiro trimestre, a 345,4 milhões de dólares.

O lucro operacional caiu 4,5 por cento, para 174,9 milhões de dólares, refletindo, segundo a empresa, menor demanda governamental no trimestre.

Pearce disse que foi um sólido início de ano, com um bom desempenho das operações marítimas e dos serviços de aviação.

“Um crescimento geral de 5 por cento na receita é um bom desempenho em condições difíceis de mercado”, disse ele à Reuters em entrevista por telefone após os resultados.

Pearce disse que a empresa tem um desempenho particularmente bom na aviação, impulsionado pela conectividade em voo para companhias aéreas comerciais. O número de aeronaves com o serviço Global Xpress instalado subiu para 245 no final do primeiro trimestre ante 194 no final do ano passado.

Por Paul Sandle

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247