ACM: conversas de Geddel não fugiram da moralidade

O prefeito de Salvador, ACM Neto, disse nesta quinta-feira que "não houve nada imoral" nas conversas do presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, com o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro sobre o empreendimento Costa España; citado na conversa, ACM diz "não ter nenhum motivo para defendê-los [a OAS]", e garante que não houve nada indevido; "O ex-ministro Geddel esteve comigo no ano de 2013, na prefeitura. Ele foi levar um projeto para aquela área. Nunca, em nenhum momento, Geddel me fez qualquer tipo de solicitação que fosse indevida, inadequada ou fora dos parâmetros legais e corretos da prefeitura", diz ACM

O prefeito de Salvador, ACM Neto, disse nesta quinta-feira que "não houve nada imoral" nas conversas do presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, com o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro sobre o empreendimento Costa España; citado na conversa, ACM diz "não ter nenhum motivo para defendê-los [a OAS]", e garante que não houve nada indevido; "O ex-ministro Geddel esteve comigo no ano de 2013, na prefeitura. Ele foi levar um projeto para aquela área. Nunca, em nenhum momento, Geddel me fez qualquer tipo de solicitação que fosse indevida, inadequada ou fora dos parâmetros legais e corretos da prefeitura", diz ACM
O prefeito de Salvador, ACM Neto, disse nesta quinta-feira que "não houve nada imoral" nas conversas do presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, com o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro sobre o empreendimento Costa España; citado na conversa, ACM diz "não ter nenhum motivo para defendê-los [a OAS]", e garante que não houve nada indevido; "O ex-ministro Geddel esteve comigo no ano de 2013, na prefeitura. Ele foi levar um projeto para aquela área. Nunca, em nenhum momento, Geddel me fez qualquer tipo de solicitação que fosse indevida, inadequada ou fora dos parâmetros legais e corretos da prefeitura", diz ACM (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O prefeito de Salvador, ACM Neto, do DEM, disse nesta quinta-feira que "não houve nada imoral" nas conversas do aliado e presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, com o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro sobre o empreendimento Costa España.

Citado na conversa, ACM diz "não ter nenhum motivo para defendê-los [a OAS]", e garante que não houve nada indevido nas conversas.

"O ex-ministro Geddel Vieira Lima esteve comigo no ano de 2013, na prefeitura. Ele foi levar um projeto para aquela área, que basicamente propunha a colocação de uma ciclovia, projeto que não avançou na prefeitura. Então, portanto, não teve nenhuma consequência prática. Nunca, em nenhum momento, Geddel me fez qualquer tipo de solicitação que fosse indevida, inadequada ou fora dos parâmetros legais e corretos da prefeitura", disse ACM.

"Eu não preciso esconder, se eu não tenho grandes amigos numa empresa, essa empresa é a OAS. Estou falando porque é de conhecimento público. Também o fato de não ter relação ou contato com os empresários da OAS me fez ter qualquer atitude persecutória ou restritiva à empresa", afirmou o prefeito.

ACM demonstra sua apatia à OAS por causa de um dos donos da empresa, César Mata Pires, antigo desafeto dos Magalhães e que é casado com uma de suas tias, apesar de tudo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247