ACM faz apelo a moradores de áreas de risco: 'saiam'

Prefeito ACM Neto concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira para falar sobre as ações que serão feitas em áreas apontadas como de risco em decorrência das fortes chuvas fez apelo para que as pessoas que ainda permanecem nos locais condenados deixem suas casas o mais breve possível; "O que eu tenho pedido à população é que independente de sua casa já ter sido ou não vistoriada, se a pessoa está morando em uma área de risco, de encosta, que ela não corra o risco de permanecer dentro do imóvel. Que ela saia do imóvel e procure a prefeitura"; a prefeitura oferece duas opções a quem sair preventivamente de casa: abrigo em hotéis ou o recebimento de auxílio-moradia

Prefeito ACM Neto concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira para falar sobre as ações que serão feitas em áreas apontadas como de risco em decorrência das fortes chuvas fez apelo para que as pessoas que ainda permanecem nos locais condenados deixem suas casas o mais breve possível; "O que eu tenho pedido à população é que independente de sua casa já ter sido ou não vistoriada, se a pessoa está morando em uma área de risco, de encosta, que ela não corra o risco de permanecer dentro do imóvel. Que ela saia do imóvel e procure a prefeitura"; a prefeitura oferece duas opções a quem sair preventivamente de casa: abrigo em hotéis ou o recebimento de auxílio-moradia
Prefeito ACM Neto concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira para falar sobre as ações que serão feitas em áreas apontadas como de risco em decorrência das fortes chuvas fez apelo para que as pessoas que ainda permanecem nos locais condenados deixem suas casas o mais breve possível; "O que eu tenho pedido à população é que independente de sua casa já ter sido ou não vistoriada, se a pessoa está morando em uma área de risco, de encosta, que ela não corra o risco de permanecer dentro do imóvel. Que ela saia do imóvel e procure a prefeitura"; a prefeitura oferece duas opções a quem sair preventivamente de casa: abrigo em hotéis ou o recebimento de auxílio-moradia (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O prefeito ACM Neto (DEM) concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (11) para falar sobre as ações que serão feitas em áreas apontadas como de risco em Salvador em decorrência das fortes chuvas que castigam a cidade já há quase um mês. Diante da nova tragédia, na qual quatro pessoas morreram em deslizamento de terra ontem (10) na Baixa do Fiscal (subúrbio ferroviário), o democrata fez apelo para que as pessoas que ainda permanecem nos locais condenados deixem suas casas o mais breve possível.

"O que eu tenho pedido à população é que independente de sua casa já ter sido ou não vistoriada – porque a vistoria vai ser feita, mas pode não ter dado tempo ainda em função do volume que é muito grande – se a pessoa está morando em uma área de risco, de encosta, que ela não corra o risco de permanecer dentro do imóvel. Que ela saia do imóvel e procure a prefeitura".

A prefeitura oferece duas opções a quem sair preventivamente de casa: abrigo em hotéis ou o recebimento de auxílio-moradia. Segundo o prefeito, moradores de Marotinho (onde morreram cinco pessoas há três semanas), Barro Branco (11 mortos há três semanas), Pau da Lima, Nilo Peçanha e outros pontos afetados pelas chuvas ainda resistem em sair de suas residências e pode ser pedido apoio policial para retirada das famílias.

"Se necessário, nós vamos pedir à Justiça que no caso extremo de resistência, de descumprimento da ordem judicial, a polícia faça intervenções", disse ACM Neto.

Ele anunciou que uma encosta no Largo do Luso, em Plataforma, na Avenida Suburbana (Afrânio Peixoto), será rompida para reparo. O prefeito informou também que a ViaBahia, concessionária que administra a BR-324, já faz reparos em uma cratera formada na rodovia, na altura da Jaqueira do Carneiro, entre os bairros de São Caetano e Campinas.

Segundo ACM Neto, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, entrou em contato por telefone e começou a discutir a reconstrução das áreas mais afetadas. "Vamos somar forças para pedir mais apoio ao governo federal e atribuir uma parte das funções para para o governo e deixar outra com a prefeitura", disse o democrata.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247