Ações do Planalto que prejudicam trabalhadores são criticadas na AL

Para o deputado Carlos Felipe (PCdoB), o Govern Federal our combater a crise econômica penalizando os mais fracos. Em pronunciamento nesta terça (14) na Assembleia, o parlamentar criticou duramente projetos como a flexibilização das horas de trabalho, o aumento na idade da aposentadoria para 65 anos, e o fim da pensão para as viúvas

Para o deputado Carlos Felipe (PCdoB), o Govern Federal our combater a crise econômica penalizando os mais fracos. Em pronunciamento nesta terça (14) na Assembleia, o parlamentar criticou duramente projetos como a flexibilização das horas de trabalho, o aumento na idade da aposentadoria para 65 anos, e o fim da pensão para as viúvas
Para o deputado Carlos Felipe (PCdoB), o Govern Federal our combater a crise econômica penalizando os mais fracos. Em pronunciamento nesta terça (14) na Assembleia, o parlamentar criticou duramente projetos como a flexibilização das horas de trabalho, o aumento na idade da aposentadoria para 65 anos, e o fim da pensão para as viúvas (Foto: Fatima 247)

Ceará247 - O deputado Carlos Felipe (PCdoB) criticou, em pronunciamento nesta quarta-feira (14) na Assembleia Legislativa, diversas medidas do Governo Federal que, na avaliação do parlamentar, prejudicam os trabalhadores, principalmente os rurais. Carlos Felipe apontou que, entre as medidas, estão a flexibilização das horas de trabalho; o aumento na idade da aposentadoria para 65 anos; e o fim da pensão para as viúvas. "O Governo Federal precisa rever isso. Aumentar a idade da aposentadoria para o homem do campo é muito negativo. O fim da pensão das viúvas é um desrespeito. Essas medidas afetam negativamente os trabalhadores e o Ceará", comentou.

Para o deputado, o Governo quer combater a crise econômica penalizando os mais fracos. "É importante que os trabalhadores olhem as propostas de quem vão escolher na hora do voto. Não podemos eleger quem defende medidas contra os trabalhadores e os direitos trabalhistas", defendeu.

O parlamentar ressaltou ainda que, na última terça-feira (13), 16 governadores foram a Brasília para se reunir com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e solicitar antecipação de recursos para 14 estados que estão entrando em estado de calamidade. "Esse pedido foi negado e isso é preocupante. Vários estados estão entrando em calamidade, entre eles Rio de Janeiro e Minas Gerais, mas o Governo não teve sensibilidade", salientou.

Medidas do Governo Federal para a saúde também foram abordadas pelo parlamentar. Segundo Carlos Felipe, está acontecendo um desmonte na saúde. "O que o Governo quer fazer é dar acesso a um plano de saúde popular, para quem não pode pagar, com uma grande redução de direitos. Querem empurrar para o povo uma obrigação que é do Governo", criticou.

O deputado Renato Roseno também ocupou a tribuna para criticar o governo federal. O deputado cobrou investimentos nas políticas pública de saúde e educação. Alertou que o secretário Mauro Filho anunciou que também interessa ao Ceará criar uma empresa para vender título da dívida ativa. 

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247