Acordo do Estado com INSS vai evitar acúmulo de cargos

O governo do Piauí assinou termo de cooperação com o Ministério da Previdência que possibilitará o cruzamento de dados dos funcionários do Estado com a base do INSS; objetivo é verificar especificamente a acumulação ilegal de cargos e de benefícios públicos e de benefícios entre os regimes de previdência federal e estadual, e a ocorrência de mortes não informadas, bem como o descumprimento das legislações 

O governo do Piauí assinou termo de cooperação com o Ministério da Previdência que possibilitará o cruzamento de dados dos funcionários do Estado com a base do INSS; objetivo é verificar especificamente a acumulação ilegal de cargos e de benefícios públicos e de benefícios entre os regimes de previdência federal e estadual, e a ocorrência de mortes não informadas, bem como o descumprimento das legislações 
O governo do Piauí assinou termo de cooperação com o Ministério da Previdência que possibilitará o cruzamento de dados dos funcionários do Estado com a base do INSS; objetivo é verificar especificamente a acumulação ilegal de cargos e de benefícios públicos e de benefícios entre os regimes de previdência federal e estadual, e a ocorrência de mortes não informadas, bem como o descumprimento das legislações  (Foto: Voney Malta)

Piauí Hoje - O Governo do Piauí dará início a mais uma ação de controle para evitar desperdício de dinheiro público. Nessa segunda-feira (21), o governador Wellington Dias assinou um termo de cooperação com o Ministério da Previdência Social, que possibilitará o cruzamento de dados dos funcionários públicos do Estado, com a base do INSS no Piauí, visando identificar e sustar pagamentos irregulares.

O acordo visa verificar especificamente a acumulação ilegal de cargos públicos e de benefícios públicos e de benefícios entre os regimes de previdência federal e estadual; a ocorrência de mortes não informadas, bem como o descumprimento das legislações vigentes.

“Tentaremos evitar algum tipo de duplicidade no pagamento de benefícios, verificar óbitos, com o objetivo de evitar problemas futuros, bem como buscar ressarcimento do que foi pago indevidamente”, esclareceu o secretário de Estado da Administração e Previdência, Ricardo Pontes.

Atualmente, o Piauí possui cerca de 98 mil servidores, sendo 43 mil ativos e 55 mil inativos, entre aposentados ou pensionistas. O termo de cooperação tem validade de cinco anos.

“Tudo isso busca dar maior transparência e celeridade para o servidor do Estado, para quando solicitar algum serviço do INSS”, declarou Nei Ferraz, gerente regional do INSS no Piauí.

Participaram também da audiência de assinatura do termo de cooperação, o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles; o presidente da Fundação Piauí Previdência, Marcos Steiner Mesquita ; o procurardor-geral do Estado, Plínio Klerton; representantes das secretarias de Estado do Planejamento e de Governo.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247