Adolescente que matou colegas em escola vai para centro de internação

Adolescente autor do ataque com arma de fogo no Colégio Goyazes, em Goiânia, foi transferido para um centro de internação provisória. A internação foi recomendada pelo Ministério Público e determinada pela Justiça do Estado; estudante ficará internado até o julgamento do caso pelo Juizado da Infância e Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente; Ministério Público também pediu que o adolescente seja colocado em separado dos demais internos, já que é filho de militares

Adolescente autor do ataque com arma de fogo no Colégio Goyazes, em Goiânia, foi transferido para um centro de internação provisória. A internação foi recomendada pelo Ministério Público e determinada pela Justiça do Estado; estudante ficará internado até o julgamento do caso pelo Juizado da Infância e Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente; Ministério Público também pediu que o adolescente seja colocado em separado dos demais internos, já que é filho de militares
Adolescente autor do ataque com arma de fogo no Colégio Goyazes, em Goiânia, foi transferido para um centro de internação provisória. A internação foi recomendada pelo Ministério Público e determinada pela Justiça do Estado; estudante ficará internado até o julgamento do caso pelo Juizado da Infância e Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente; Ministério Público também pediu que o adolescente seja colocado em separado dos demais internos, já que é filho de militares (Foto: Paulo Emílio)

Sabrina Craide; repórter da Agência Brasil - O adolescente autor do ataque com arma de fogo no Colégio Goyazes, em Goiânia, foi transferido no final da tarde de hoje (23) para um centro de internação provisória. A internação foi recomendada pelo Ministério Público e determinada pela Justiça do estado.

O estudante ficará internado até o julgamento do caso pelo Juizado da Infância e Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Por medida de segurança, a advogada do jovem, Rosângela Magalhães, não informou para qual unidade ele foi transferido.

"Nós solicitamos que ele não fosse para o Centro de Internação Provisória de Goiânia, pois tínhamos informações que ele poderia correr risco lá. Por isso, ele foi para outro local", disse a advogada à Agência Brasil. O Ministério Público também pediu que o adolescente seja colocado em separado dos demais internos, já que é filho de militares.

A advogada do adolescente estima que a primeira audiência para ouvir o menor e os pais deve ocorrer na semana que vem. Também haverá outras audiências para ouvir testemunhas

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247