Aécio diz que prisão de Delcídio é "mais dor de cabeça" para governo Dilma

Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), disse que o governo da presidente Dilma Rousseff já tem "dor de cabeça demais" em função da atual crise política e econômica e que uma possível delação premiada do senador Delcídio do Amaral seria um complicador a mais; de passagem pelo Recife, o tucano manteve reuniões com o prefeito Geraldo Julio (PSB) e com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) PSDB ainda não bateu o martelo sobre a candidatura própria do deputado Daniel Coelho ao comando da capital pernambucana

Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG) em evento do partido em Recife 27/11/2015
Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG) em evento do partido em Recife 27/11/2015 (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), disse que o governo da presidente Dilma Rousseff já tem "dor de cabeça demais" em função da atual crise política e econômica e que uma possível delação premiada do senador Delcídio do Amaral seria um complicador a mais. Aécio, que nesta sexta-feira esteve de passagem pelo Recife para definições quanto candidatura tucana à Prefeitura do Recife, encontrou-se com o prefeito Geraldo Julio (PSB) e com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB). Ele também disse que o PSDB é "o caminho mais seguro para a recuperação econômica e social também no Nordeste brasileiro".

Apesar do intenso contato político para tratar das eleições, Aécio foi cauteloso ao falar de uma possível candidatura própria por parte do PSDB à Prefeitura da capital pernambucana. PSDB e PSB são aliados tácitos, muito embora parte do partido tucano defenda a saída da base da gestão socialista em prol de uma candidatura própria. O nome mais cotado é o do deputado federal Daniel Coelho.

"É um quadro extraordinário em condições desse e de qualquer outro desafio. No momento certo, o partido vai tomar a decisão e não será uma decisão tomada pela direção nacional do PSDB. O que posso dizer é que PSDB se sente extremamente honrado de ter nos seus quadros um nome tão qualificado quanto Daniel e outros que temos e em condições da disputa. Mas hoje não é o assunto da nossa agenda. Isso será amadurecido por ele próprio e pelos companheiros do partido e, no momento certo, essa decisão será tomada", disse o senador.

Ele também disse estar à disposição para participar de atos de campanha "aonde eles (membros do PSDB) acharem que eu não atrapalho, que eu não tiro voto, onde acharem que eu possa ajudar minimamente. Quero dar uma atenção muito especial a Pernambuco", afirmou.

"Pernambuco, pela sua importância, pela repercussão do que acontece aqui e em todo o Nordeste, talvez seja a nova porta de entrada do PSDB para o Nordeste. E temos que ter a preocupação clara de falar para essa região, para os problemas que essa região vem vivendo e mostrar que esse modelo que está não se sustenta mais. E somos o caminho mais seguro para a recuperação econômica e social também no Nordeste brasileiro", assegurou o tucano.

Sobre o encontro com o prefeito Geraldo Julio, Aécio destacou que "aqueles que não têm a capacidade de dialogar, seja com aliados, seja com adversários, não deveriam estar na política". Em nível nacional, o PSB optou por adotar uma postura independente enquanto o PSDB faz oposição ao governo federal.

"O nosso sentimento é que a presidente Dilma Rousseff perdeu as condições de governar o Brasil. No momento de grave crise como este. No momento em que o líder do seu governo e do seu partido é preso, quem aqui ouviu uma palavra da presidente da República? Nenhuma palavra. Como se ela não tivesse qualquer responsabilidade, por exemplo, com a nomeação desses ex-diretores da Petrobras que estão hoje presos, condenados", disparou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247