Aécio entra no acordão para salvar Cunha

Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), não descarta a possibilidade de a legenda apoiar um deputado aliado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na eleição para a presidência da Casa na próxima semana; segundo o tucano, a eleição para um mandato-tampão não é prioridade para o PSDB no momento atual; "Essa não é a prioridade desse conjunto de forças. Vamos buscar construir uma aliança mais ampla possível agora. Mas nossa prioridade é ter candidato competitivo e com perfil adequado a partir das eleições de fevereiro", afirmou; "Não seremos o partido da discórdia", completou; já o líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA), deixou implícito que o partido pode apoiar até mesmo um deputado indicado por Cunha; "Não podemos ter nenhum tipo de preconceito partidário"

Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), não descarta a possibilidade de a legenda apoiar um deputado aliado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na eleição para a presidência da Casa na próxima semana; segundo o tucano, a eleição para um mandato-tampão não é prioridade para o PSDB no momento atual; "Essa não é a prioridade desse conjunto de forças. Vamos buscar construir uma aliança mais ampla possível agora. Mas nossa prioridade é ter candidato competitivo e com perfil adequado a partir das eleições de fevereiro", afirmou; "Não seremos o partido da discórdia", completou; já o líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA), deixou implícito que o partido pode apoiar até mesmo um deputado indicado por Cunha; "Não podemos ter nenhum tipo de preconceito partidário"
Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), não descarta a possibilidade de a legenda apoiar um deputado aliado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na eleição para a presidência da Casa na próxima semana; segundo o tucano, a eleição para um mandato-tampão não é prioridade para o PSDB no momento atual; "Essa não é a prioridade desse conjunto de forças. Vamos buscar construir uma aliança mais ampla possível agora. Mas nossa prioridade é ter candidato competitivo e com perfil adequado a partir das eleições de fevereiro", afirmou; "Não seremos o partido da discórdia", completou; já o líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA), deixou implícito que o partido pode apoiar até mesmo um deputado indicado por Cunha; "Não podemos ter nenhum tipo de preconceito partidário" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), não descarta a possibilidade de a legenda vir a apoiar um deputado aliado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na eleição para a presidência da Casa que será realizada na próxima semana.

Segundo Aécio, a eleição para um mandato-tampão não é prioridade para o PSDB no momento atual e o partido deverá focar na sucessão que será concretizada em 2017. Aécio afirmou, ainda, que o PSDB não será a legenda da "discórdia" na disputa pelo controle da Câmara.

"Essa não é a prioridade desse conjunto de forças. Vamos buscar construir uma aliança mais ampla possível agora. Mas nossa prioridade é ter candidato competitivo e com perfil adequado a partir das eleições de fevereiro", afirmou o tucano.

Segundo matéria publicada pelo jornal O Globo, os partidos do chamado centrão – incluindo o PSDB – buscam um acordo com o governo do presidente interino, Michel Temer, visando garantir o apoio para assumirem a presidência da Câmara a partir de 2017. Aécio e Temer teriam se reunido para discutir o assunto.

"O que queremos é que a Câmara volte a funcionar e um presidente que cumpra esse mandato e consiga liderar uma agenda. Nesse momento somos um partido da base de apoio do presidente Michel Temer. Não seremos o partido da discórdia", declarou Aécio.

Já o líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), deixou implícito que o partido pode apoiar até mesmo um deputado indicado por Cunha. "São muitas conversações e muitos candidatos. Não podemos ter nenhum tipo de preconceito partidário. Fazemos parte de uma base ampla de apoio ao presidente Michel Temer", observou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247