Aécio usou robôs russos na campanha de 2014

Pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) concluiu que robôs criados possivelmente na Rússia atuaram na campanha presidencial de Aécio Neves (PSDB) 2014; para atuar nas redes sociais, os bots, programas de computador formatados para automatizar determinados procedimentos, apresentavam-se com perfis falsos — pesquisadores detectaram pelo menos 699 na campanha de Aécio

Pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) concluiu que robôs criados possivelmente na Rússia atuaram na campanha presidencial de Aécio Neves (PSDB) 2014; para atuar nas redes sociais, os bots, programas de computador formatados para automatizar determinados procedimentos, apresentavam-se com perfis falsos — pesquisadores detectaram pelo menos 699 na campanha de Aécio
Pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) concluiu que robôs criados possivelmente na Rússia atuaram na campanha presidencial de Aécio Neves (PSDB) 2014; para atuar nas redes sociais, os bots, programas de computador formatados para automatizar determinados procedimentos, apresentavam-se com perfis falsos — pesquisadores detectaram pelo menos 699 na campanha de Aécio (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) concluiu que robôs criados possivelmente na Rússia atuaram na campanha presidencial de Aécio Neves (PSDB) 2014.

Para atuar nas redes sociais, os bots, programas de computador formatados para automatizar determinados procedimentos, apresentavam-se com perfis falsos — pesquisadores detectaram pelo menos 699 na campanha de Aécio.

Destes, 24 tinham um padrão curioso: usavam nomes brasileiros, como Wesley Rodrigues e Alberto Muniz, mas vinham acompanhados de imagens coletadas de websites russos, memes e banners em língua russa.

A partir do segundo semestre de 2014, tuítes pró-Aécio, num característico comportamento de robô, passaram a ser disparados de maneira repetitiva e simultânea em horários programados. Mostravam, por exemplo, o então candidato envolto na bandeira do Brasil ou dizendo estar 12 pontos à frente de Dilma Rousseff em Minas Gerais.

Leia mais sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247