Agência autoriza reajuste na conta de água

A Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal) autorizou aumento de 16,5% no abastecimento de água, a partir de 1º de julho, que é cobrado pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal); reajuste tomou como base o aumento de 8,48% da tarifa da rede elétrica previsto para agosto deste ano, o que elevaria os custos da empresa em 40%

A Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal) autorizou aumento de 16,5% no abastecimento de água, a partir de 1º de julho, que é cobrado pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal); reajuste tomou como base o aumento de 8,48% da tarifa da rede elétrica previsto para agosto deste ano, o que elevaria os custos da empresa em 40%
A Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal) autorizou aumento de 16,5% no abastecimento de água, a partir de 1º de julho, que é cobrado pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal); reajuste tomou como base o aumento de 8,48% da tarifa da rede elétrica previsto para agosto deste ano, o que elevaria os custos da empresa em 40% (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - A tarifa do serviço de abastecimento d'água cobrada pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) será reajustada em 16,5% a partir do próximo dia 1º de julho, conforme portaria publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (23), após aprovação pela Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal), com validade para o ciclo 2016/2017.

Segundo a publicação, o reajuste tomou como base o aumento de 8,48% da tarifa da rede elétrica previsto para agosto deste ano, o que elevaria os custos da empresa em 40%. 

Outro ponto levado em consideração pela Arsal foi a variação cambial, que eleva os custos dos produtos utilizados para o tratamento da água repassada para o consumidor.

O último reajuste aprovado pela Arsal foi em junho de 2015, de 15,27%. À época, a agência reguladora lembra ter reprovado a proposta inicial, de 27%, com base na atualização monetária do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no Índice Geral de Preços do mercado (IGPM) e na correção relativa aos recentes aumentos sobre os insumos.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247