Agespisa refuta MP-PI sobre qualidade da água

Após o Ministério Público instaurar inquérito questionando a qualidade da água em Teresina, Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí S/A emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que "o setor de controle de qualidade de água da empresa dispõe de laboratórios  que executam por mês em média de 400 (quatrocentas) análises bacteriológicas e físico-químicas em toda a capital, não tendo encontrado nenhum problema de qualidade na água distribuída"

Após o Ministério Público instaurar inquérito questionando a qualidade da água em Teresina, Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí S/A emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que "o setor de controle de qualidade de água da empresa dispõe de laboratórios  que executam por mês em média de 400 (quatrocentas) análises bacteriológicas e físico-químicas em toda a capital, não tendo encontrado nenhum problema de qualidade na água distribuída"
Após o Ministério Público instaurar inquérito questionando a qualidade da água em Teresina, Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí S/A emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que "o setor de controle de qualidade de água da empresa dispõe de laboratórios  que executam por mês em média de 400 (quatrocentas) análises bacteriológicas e físico-químicas em toda a capital, não tendo encontrado nenhum problema de qualidade na água distribuída" (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí 247 - Após o Ministério Público instaurar inquérito questionando a qualidade da água em Teresina, Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí S/A emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que "o setor de controle de qualidade de água da empresa dispõe de laboratórios  que executam por mês em média de 400 (quatrocentas) análises bacteriológicas e físico-químicas em toda a capital, não tendo encontrado nenhum problema de qualidade na água distribuída".

Segundo o MPPI, "todas as amostras analisadas foram concluídas como insatisfatórias em relação à qualidade da água distribuída, que foram reprovadas nos quesitos físico-químicos, microbiológicos e organolépticos por parâmetros como a presença de cloro livre abaixo do limite mínimo, cor aparente e turbidez acima do limite máximo e apontando ainda resultado positivo para a presença de coliformes totais".

Ao rebater o ministério, a Agespisa disse que "a denúncia se refere a nove (09) análises divulgadas, quantidade essa que não possui representatividade técnica". "A positividade de qualquer análise requer protocolos exigidos pela legislação de preparação de material de coleta; do local da coleta, da execução da coleta, acondicionamento e transporte das amostras e dos procedimentos analíticos. Observa-se que as amostras analisadas foram coletadas após reservação domiciliar, que é de responsabilidade exclusiva do usuário".

Confira a íntegra da nota:

A Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí S/A, em respeito aos seus usuários, mediante divulgações sobre a qualidade da água em Teresina, vem tranqüilizar a população da nossa capital, garantindo a qualidade físico-química e microbiológica da água produzida e distribuída em Teresina.

As garantias se dão mediante as ações de produção e controle de qualidade de água que dispõe a empresa, como explicitamos a seguir:

01. A denúncia se refere a nove (09) análises divulgadas, quantidade essa que não possui representatividade técnica. A positividade de qualquer análise requer protocolos exigidos pela legislação de preparação de material de coleta; do local da coleta, da execução da coleta, acondicionamento e transporte das amostras e dos procedimentos analíticos. Observa-se que as amostras analisadas foram coletadas após reservação domiciliar, que é de responsabilidade exclusiva do usuário;

02. Dentre os protocolos técnicos exigidos para análises bacteriológicas especificados, se  algum resultado for supostamente positivo (contaminado)  em algum lugar pontual de coleta, requer a RECOLETA na mesma rede de distribuição em outro ponto para ratificar ou RETIFICAR o resultado e tomar as providências cabíveis;

03. No caso do órgão fiscalizador realizar a coleta e análise, a RECOLETA seria necessária e obrigatória com a contraprova da empresa fornecedora para que se possa emitir laudo conclusivo;

04. O sistema de produção de água em Teresina é realizado por quatro estações de tratamento com todos os processos físico-químicos que se requerem para produção de água, dentro dos padrões de potabilidade definidos pela Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde;

05. O setor de controle de qualidade de água da empresa dispõe de laboratórios  que executam por mês em média de 400 (quatrocentas) análises bacteriológicas e físico-químicas em toda a capital, não tendo encontrado nenhum problema de qualidade na água distribuída;

06. Além das análises realizadas pela própria Agespisa e o controle da GEVISA (Gerência de Vigilância Sanitária), a empresa tem contrato com laboratório terceirizado, o Laboratório de Análises Ambientais São Lucas (ASL), da cidade de Rio Claro/SP, com ACREDITAÇÃO pelo INMETRO e com certificação da ISO 17025, que tem realizado análises comparativas e  comprovada a qualidade da água distribuída em Teresina.

POR FIM, A AGESPISA tranqüiliza a população e garante a qualidade da água produzida e distribuída em Teresina, e coloca a disposição todos os laudos do seu laboratório e dos laboratórios terceirizados com acreditação no INMETRO e Certificação ISO, e ALERTA A POPULAÇÃO PARA NÃO BUSCAR OUTRAS FONTES DE ÁGUA PARA CONSUMO, sob pena de estar consumindo água sem garantia de qualidade e sem nenhum CONTROLE, aí sim, INSEGURAS.

 

 

Raimundo Trigo

Presidente da Agespisa

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247