Aidar confirma crise: "Aliança PT-PMDB morreu"

Deputado estadual Humberto Aidar deu entrevista ao Jornal Opção e falou do clima tenso entre partidos; "PT e o PMDB não devem caminhar juntos no primeiro e muito menos no segundo turno. A união com Iris Rezende ‘morreu’ até para o segundo turno”; Aidar afirma que o PMDB quer apenas colher os louros da aliança e o PT vai, sim, lançar candidato próprio a prefeito de Goiânia; parlamentar falou até que Paulo Garcia está mais dinâmico sem o peso de Iris Rezende; “Ao se afastar de Iris Rezende, o prefeito ganhou mais autonomia e está deslanchando"

Deputado estadual Humberto Aidar deu entrevista ao Jornal Opção e falou do clima tenso entre partidos; "PT e o PMDB não devem caminhar juntos no primeiro e muito menos no segundo turno. A união com Iris Rezende ‘morreu’ até para o segundo turno”; Aidar afirma que o PMDB quer apenas colher os louros da aliança e o PT vai, sim, lançar candidato próprio a prefeito de Goiânia; parlamentar falou até que Paulo Garcia está mais dinâmico sem o peso de Iris Rezende; “Ao se afastar de Iris Rezende, o prefeito ganhou mais autonomia e está deslanchando"
Deputado estadual Humberto Aidar deu entrevista ao Jornal Opção e falou do clima tenso entre partidos; "PT e o PMDB não devem caminhar juntos no primeiro e muito menos no segundo turno. A união com Iris Rezende ‘morreu’ até para o segundo turno”; Aidar afirma que o PMDB quer apenas colher os louros da aliança e o PT vai, sim, lançar candidato próprio a prefeito de Goiânia; parlamentar falou até que Paulo Garcia está mais dinâmico sem o peso de Iris Rezende; “Ao se afastar de Iris Rezende, o prefeito ganhou mais autonomia e está deslanchando" (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Uma das principais lideranças do PT em Goiás, o deputado estadual Humberto Aidar deu entrevista reveladora ao Jornal Opção e deixou claro que a partir de agora a aliança do PT com o PMDB não passa de mera formalidade política. Nas últimas semanas, figuras de proa das duas legendas trocaram ataques pesados.

Aidar diz que o prefeito Paulo Garcia perdeu a paciência com os peemedebistas depois suportar grande pressão. "PT e o PMDB não devem caminhar juntos no primeiro e muito menos no segundo turno. A união com Iris Rezende ‘morreu’ até para o segundo turno”. "Ninguém administra com adversários que, quando querem, torpedeiam a gestão. O PMDB quer colher o bônus e deixar o ônus para o PT", diz o parlamentar.

O petista confirmou ao Jorna Opção o que já se dá como certo nos bastidores: o PT vai ter candidato próprio a prefeito de Goiânia. E a gestão desgastada de Paulo Garcia parece não mais assustar os petistas. 

“PT vai lançar candidato a prefeito de Goiânia. Nós estamos sendo subestimados, mas, apesar da crise nacional, o PT pode acabar surpreendendo. De todo modo, a gente não ganha só quando vence uma eleição. O PT precisa ter candidato para se defender e apresentar suas propostas de renovação. É um equívoco avaliar que o PT esgotou-se como partido”. Ele sublinha que, “mais do que nunca, o partido tem de lançar candidato na capital e noutras cidades”.

“Ao se afastar de Iris Rezende, o prefeito ganhou mais autonomia e está deslanchando. As pessoas dizem que sentem a mão do prefeito na cidade, que ele está trabalhando”, finalizou o deputado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247